PUBLICIDADE
Brasil
Noticia

Igrejas no Rio de Janeiro reabrem com presença de fiéis após 3 meses

Com capacidade para 5.000 pessoas no local, a Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro só pode permitir a entrada de 1.500, tendo estes agendado anteriormente por ligação ou mensagem

Lillian Santos
17:23 | 04/07/2020
Com diversas medidas restritivas, igrejas e paróquias do Rio de Janeiro reabriram neste sábado, 4, com presença de fiéis (Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)
Com diversas medidas restritivas, igrejas e paróquias do Rio de Janeiro reabriram neste sábado, 4, com presença de fiéis (Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)

Mais de 200 igrejas retornaram com as atividades presenciais neste sábado, 4, no Rio de Janeiro, capital. As celebrações religiosas estavam sendo realizadas por meio de transmissões virtuais desde o dia 20 de março, data que foram implementadas as medidas de prevenção ao novo coronavírus.

Com paróquias fechadas por mais de três meses, a retomada de missas no Rio de Janeiro com a presença de público deve agora seguir uma série de restrições que vão desde o controle na entrada dos fiéis, com checagem de temperatura e de possíveis sintomas da Covid-19, uso obrigatório de máscaras por todos e proibição na distribuição de material impresso durante as celebrações.

LEIA MAIS | Fase 3 do isolamento libera espaços públicos sem aglomeração e mantém proibidos restaurantes à noite e barracas de praia

O retorno das missas com a presença do público só pode ser praticado com limitações. A Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, por exemplo, foi adaptada para receber o público. Com capacidade para 5 mil pessoas no local, a Catedral só pode permitir a entrada de 1,5 mil. A entrada é mediante agendamento prévio por ligação ou mensagem. Também foram marcados selos nos bancos orientando a distância mínima de 1,5 metro entre os fiéis. A hóstia deverá ser entregue nas mãos e os ministros devem usar álcool em gel antes e depois da comunhão.

Em Fortaleza, a Arquidiocese decidiu manter as igrejas da Capital fechadas, mesmo com a permissão de atuar com 20% da capacidade.

Conforme divulgado em 1º de junho, a Arquidiocese de Fortaleza informou que irá manter o isolamento rígido até o momento que houver garantia de segurança máxima para a população.

Com informações da Agência Brasil