PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Presidente do Inep diz que discussão sobre a data do Enem é "prematura"

Alexandre Lopes garantiu que todas as ações judiciais que pedem adiamento do Enem 2020 foram ganhas até o momento

11:28 | 11/05/2020
Nova campanha do Ministério da Educação para a manutenção das datas do Enem 2020
Nova campanha do Ministério da Educação para a manutenção das datas do Enem 2020 (Foto: Reprodução/Youtube)

Nesta segunda-feira, 11, começaram as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Até o momento, mesmo com a pandemia, a realização do Enem está mantida, porém o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), Alexandre Lopes, disse à CNN Brasil que a data da prova pode mudar.


O Inep é o órgão responsável pela aplicação da prova no País. A realização do exame presencial está previsto para os dias 1º e 8 de novembro. Em entrevista ao canal de televisão, Lopes disse que a intenção é levar adiante a execução da prova. “Entendemos que a discussão sobre a data da prova é prematura. Queremos garantir a execução do Enem", afirmou.

Com relação às ações judiciais que pedem adiamento da prova, o presidente do Inep declarou que o órgão ganhou todas elas até agora. "O argumento que colocamos em juízo é que a data [do Enem] pode até vir a ser alterada, mas não é agora o momento de se discutir isso. Mais próximo da data da realização da prova é que a gente vai poder, se necessário, alterar", ponderou.


LEIA TAMBÉM | Internautas criticam peça publicitária do Enem 2020 e reclamam da manutenção das datas do Exame 

O presidente do Inep esclareceu que a pandemia do novo coronavírus não atrapalhou a montagem da prova, pois ela é feita a partir de um banco de itens e as questões foram produzidas antes da crise causada pela doença. “O que nós temos que fazer neste ano é a montagem dos itens, a escolha deles para fazer a prova”, afirmou Lopes.


Inep reconhece prejuízo aos estudantes


Questionado se os estudantes poderiam ser prejudicados no Enem 2020 por estarem afastados do sistema regular de ensino, com as aulas suspensas, Lopes respondeu que a pandemia afeta a todos os participantes, ainda que de forma diferente. "A gente fala dos alunos da escola pública, mas também temos que lembrar dos alunos das escolas privadas, cujo pai perdeu o emprego ou o negócio foi à falência e o aluno teve que sair da escola privada", disse.


O presidente do Inep afirmou ainda que "a prova é a mesma para todos, a gente dá condições iguais de participação". Ele citou que políticas como o Programa de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (Prouni) ajudam a combater a desigualdade na educação no País.


Possíveis adequações para a prova


Com relação à logística preparada para o dia da realização do exame, Lopes disse que o Inep vai garantir a segurança sanitária tanto dos participantes quanto das mais de 500 pessoas que atuam na aplicação das provas. "Faremos todas as adequações necessárias."


Além disso, ele lembrou que tanto a prova presencial quanto a digital são feitas presencialmente. "O Enem digital o aluno não faz no seu dispositivo, ele vai até um local de prova", explicou. Para este caso, o presidente do Inep também assegurou que haverão as condições de segurança sanitária.


LEIA TAMBÉM | "Não há cabimento em manter o calendário do Enem", diz Tabata Amaral


Sobre possíveis problemas na plataforma de inscrição para o Enem 2020, Lopes declarou que 3,4 mil pessoas já conseguiram pedir isenção da taxa e 70% delas solicitaram esse benefício pelo celular. "Como conseguimos cumprir as isenções, entendemos que vamos conseguir também fazer as inscrições. Mas, se tiver algum problema, vamos atuar para resolver", garantiu.