PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

"A vida continua, mas com precauções", diz cearense na Itália sobre surto de coronavírus

Nathasha é moradora da região norte da Itália, onde onze mortes pela doença já foram confirmadas

09:18 | 26/02/2020
Atualmente morando na Itália, a cearense conta como está a rotina diante dos casos de coronavírus na região
Atualmente morando na Itália, a cearense conta como está a rotina diante dos casos de coronavírus na região (Foto: Arquivo pessoal)

Após uma viagem a trabalho na Itália, um brasileiro de 61 anos teve como positivo o resultado do primeiro teste para o novo coronavírus, o Covid-2019. O paciente teve resultado positivo no teste de contraprova para confirmação do diagnóstico final, divulgado nesta nesta quarta-feira, 26, pelo Ministério da Saúde. Com a confirmação do primeiro caso, o órgão continua acompanhando outras 20 suspeitas distribuídas entre os estados de Pernambuco, Paraíba, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Santa Catarina.

Apesar da apreensão, a rotina italiana continua com mudanças “adptáveis”, como cita a cearense Natasha Brand em entrevista ao O POVO. A jornalista mora na região da Emilia-Romagna, no norte da Itália. O país teve 11 mortes confirmadas pela doença até então, sendo a região Norte uma das mais afetadas com o coronavírus. 

>> Viagem marcada? Saiba como se proteger do coronavírus

Houve confirmações de casos em Emilia-Romagna, mas a jornalista afirma que os moradores estão tomando as precauções cabíveis para se proteger da doença. "Até o dia 1º de março, ambientes da cidade favoráveis a possíveis contágios estão fechados, como escolas, teatros e cinemas. Inicialmente, irão avaliar até essa data para ver como fica a situação”, afirma.

Para Natasha, a rotina em Emilia-Romagna foi turbulenta no início das precauções estabelecidas pelas autoridades. "No primeiro dia de suspensão das atividades, os supermercados estavam caóticos e faltavam itens nas prateleiras. Mas, até ontem, a situação estava normalizada", explica.

>> Saiba mais sobre os sintomas do coronavírus e como se prevenir da doença

Apesar do início turbulento, a vida não estancou com as confirmações de casos do coronavírus na região Norte da Itália. O uso de utensílios como álcool em gel une-se às precauções com cuidados redobrados para se proteger. Nas ruas, o uso de máscaras descartáveis e cachecóis são constantes entre as pessoas. “A vida continua, mas com precauções”, afirma Natasha.

BRASIL AMPLIOU LISTA DE PAÍSES SUSPEITOS

Na última segunda-feira, 24, o Ministério da Saúde informou que aumentou de 8 para 16 a lista de países para a definição de casos suspeitos para o novo coronavírus no Brasil. Com a nova atualização, a lista inclui Itália, Alemanha, França, Austrália, Filipinas, Malásia, Irã e Emirados Árabes. Pessoas que viajaram para esses países nos últimos 14 dias e que apresentarem febre ou sintomas gripais devem procurar ajuda em unidades de saúde da região.

Os oito países então se unem à lista com Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã, Camboja e China.

>> OMS: mundo deve se preparar para uma "eventual pandemia"

Os dados mais recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS) registram 79.407 casos do novo coronavírus, em 32 países, com 2.622 óbitos. A grande maioria dos casos se concentra na China. No Brasil, o Ministério da Saúde informou que descartou 54 casos e que está investigando atualmente quatro casos, dos quais um no Rio da Janeiro e três em São Paulo.

Com informações da Agência Brasil