Participamos do

Fortaleza tem o mesmo número de derrotas que a Chapecoense no 2º turno da Série A

Em 16 jogos disputados na segunda metade da competição, o Tricolor do Pici foi derrotado nove vezes. Neste recorte de resultados negativos, foram 21 gols sofridos e apenas um marcado
17:42 | Nov. 26, 2021
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Fortaleza passa por um momento de instabilidade no Brasileirão e acumula uma grande quantidade de derrotas no segundo turno. Em 16 jogos disputados pelo Tricolor do Pici, foram nove revés — ou seja, a equipe comandada pelo treinador Vojvoda não pontuou em mais da metade dos confrontos. O número é igual, por exemplo, ao da lanterna Chapecoense-SC neste recorte do campeonato.

Nestas nove derrotas no segundo turno, outro aspecto negativo chama a atenção: a quantidade de gols marcados e sofridos pelo Leão. O sistema defensivo tricolor foi vazado 21 vezes, enquanto o ataque marcou somente um gol. Não à toa, o Fortaleza tem a terceira pior defesa da competição, ao lado do Bahia, com 43 gols, à frente apenas do Grêmio-RS (44) e da Chapecoense-SC (59).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Consequentemente, a diferença entre as campanhas do primeiro e do segundo turno se tornam consideráveis. Na primeira metade do torneio, o Tricolor do Pici teve um desempenho brilhante, figurando entre os quatro primeiros colocados, com 58% de aproveitamento em 19 jogos, conquistando nove vitórias, seis empates e quatro derrotas, além de 28 gols marcados e 20 sofridos. Na segunda metade da competição, porém, o aproveitamento caiu para 39%.

Apesar do desequilíbrio entre os turnos, o Fortaleza segue no topo da tabela. Com três rodadas restantes para o fim da Série A, o Leão ocupa a quinta colocação, com 52 pontos, e depende apenas de si para garantir a inédita classificação para a Copa Libertadores de 2022.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags