PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Saiba quais equipes inspiram o Fortaleza em sua primeira participação na Sul-Americana

Conheça a evolução, a trajetória e como investem Lanús, Defensa y Justicia e Independiente del Valle, equipes citadas pelo presidente Marcelo Paz

15:16 | 22/12/2019
Rogério Ceni e jogadores comemoram campanha do Fortaleza na Série A, após o último jogo da temporada contra o Bahia
Rogério Ceni e jogadores comemoram campanha do Fortaleza na Série A, após o último jogo da temporada contra o Bahia (Foto: JL ROSA)

Após 101 anos de história, o Fortaleza participará pela primeira vez de uma competição internacional. Em 2019, o Tricolor do Pici terminou em nono lugar na Série A do Campeonato Brasileiro e carimbou vaga na Sul-Americana de 2020. Em ascensão nas últimas três temporadas, quando conquistou dois acessos, o Campeonato Cearense e a Copa do Nordeste, o clube do Pici planeja manter a evolução para consolidar presença nos principais torneios do Continente.

+ Fortaleza abre negociações com Paulão para manter zagueiro na temporada de 2020

Em entrevista exclusiva ao Esportes O POVO, o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, revelou que o Leão vai buscar aproveitar ao máximo a participação na Sul-Americana, onde enfrentará o Independiente, equipe tradicionalíssima da Argentina e maior campeã da Libertadores, e contou quais times inspiram a agremiação cearense neste novo momento.

"Que seja o início de um novo tempo para que possamos nos consolidar como equipe. A ideia é que possamos participar efetivamente de competições internacionais, como o Lanús, o Defensa y Justicia, Independiente Del Valle. São times que começam a estar no linguajar, no hábito de quem acompanha o futebol sul-americano. O Fortaleza quer entrar nesse circuito", disse Marcelo Paz.

O Esportes O POVO procurou jornalistas locais para explicar a evolução das equipes citadas por Marcelo Paz. De acordo com Matías Ruffet, jornalista argentino da Crónica TV, Lanús e Defensa y Justicia são clubes do segundo escalão do País, mas tiveram avanços significativos e passaram a figurar com destaque nos campeonatos nacionais e internacionais.

+ Sul-Americana: Fortaleza terá 4.500 ingressos para jogo contra o Independiente, na Argentina

Fruto de gestão responsável, o Lanús se tornou presença garantida nas copas do Continente apenas nos últimos 13 de seus 104 anos de história. O primeiro título importante do clube ocorreu em 1996, com a Copa Conmbebol, mas naquela época estava distante de ter a atual estrutura. O time grená está situado na cidade de Lanús, província de Buenos Aires, com pouco mais de 200 mil habitantes.

"Agora é um clube acostumado com cenários positivos", conta Matias.

De 2006 pra cá, o Lanús conquistou o Campeonato Argentino em 2007 e 2016, a Copa Sul-Americana 2013, a Copa do Bicentenario 2016 e a Supercopa Argentina 2017 com goleada sobre o River Plate, sob o comando de Marcelo Gallardo. Além disso, a equipe foi vice-campeã da Libertadores de 2017, quando acabou derrotada pelo Grêmio.

+ Exclusiva com Marcelo Paz | Bastidores do sim do Ceni ao Fortaleza, horas de conversa, WhatsApp e força do Nordeste: ‘pesou o fator emocional'

Matias explica que o Lanús investe bastante em suas categorias de base e consegue revelar bons jogadores, assim como movimentar as finanças com a venda destes atletas. O clube argentino já chegou a disputar a Segunda e a Terceira Divisão nacional.

"É um clube importante para a sua comunidade. Tem vários esportes. Fazem obras sempre e têm um estádio lindo (com capacidade para mais de 47 mil pessoas). Os presidentes alternam, mas a seguem a mesma linha de trabalho a longo prazo", afirma Matias.

Já o Defensa y Justicia, fundado em 1935 e situado na província de Buenos Aires, Florencio Varela (cerca de 400 mil habitantes), conquistou o acesso para a Primeira Divisão do Campeonato Argentino em 2014. O clube teve aporte financeiro importante de uma empresa de ônibus em momentos difíceis e começou a ter relações com relevantes empresários de jogadores na última década.

"Nos últimos tempos, ganhou muita dimensão no clube Cristian Bragarnik, o representante mais poderoso da Argentina. Defensa arma seu time com jovens jogadores e atletas não são usados em equipes grandes, como Boca Juniors, River Plate, Independiente, Racing, entre outros."

O clube costuma apostar em jovens treinadores com filosofia ofensiva. Até maio deste ano, o treinador do Defensa era Beccacece, pupilo de Sampaoli que foi alvo de equipes brasileiras. Com ele no comando, a equipe de Florencio Varela se tornou vice-campeã do campeonato nacional, sendo a melhor campanha da sua história e conquistando vaga inédita para a Libertadores de 2020.

Na Sul-Americana, o Defensa y Justicia já eliminou o São Paulo, em 2017, e chegou até as quartas-de-final, em 2018.

O Independiente del Valle, do Equador, é um clube novo, - 61 anos -, mas com conquistas relevantes, como a Sul-Americana 2019 e o segundo lugar na Libertadores 2016. Apesar dos destaques em competições internacionais, o time está situado na cidade de Sangolqui, cerca de 30 km da capital, Quito, e nunca foi campeão do campeonato nacional.

Segundo o jornalista Rolando Palacios Villagran, da Radio RVT (91.5 FM), o Independiente, assim como Lanús, investe bastante nas categorias de base. O clube possui diversas filiais espalhadas por cidades do Equador, selecionando os melhores jogadores.

"Há uma direção que crê nos processos (da base) e possui profissionais capacitados. O Independiente tem um centro de alto rendimento e revela muitos futebolistas e vendem no mercado local ou para o exterior", afirma Rolando.

Listen to "#82 - Balanço da temporada de 2019 de Ceará e Fortaleza" on Spreaker.