PUBLICIDADE
Cearenses
NOTÍCIA

Governo do Ceará ainda não recebeu pedido de clubes e FCF para que Castelão volte a receber torcida

A FCF, Ceará e Fortaleza precisariam dar entrada na solicitação, para que o assunto passasse a ser pautado no comitê do governo - o que ainda não foi feito

Domitila Andrade
18:30 | 23/09/2020
Castelão vive ainda imbróglio sobre desgaste do gramado por uso excessivo 
 (Foto: Fábio Lima)
Castelão vive ainda imbróglio sobre desgaste do gramado por uso excessivo (Foto: Fábio Lima)

A reabertura dos estádios para as torcidas já é uma realidade que vem sendo debatida a nível nacional. Na última terça-feira, 22, o Ministério da Saúde (MS) aprovou estudo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que projeta arquibancadas com 30% de público já em outubro. A chancela federal, que precisa passar por aprovações estaduais/municipais, suscitou a manifestação de chefes do executivo de tais níveis. No Ceará, contudo, o governador do Estado, Camilo Santana (PT), só deve se manifestar quando o assunto for debatido pelo Comitê Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus. Contudo, conforme a assessoria da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), o Estado não foi provocado por clubes e ou pela Federação Cearense de Futebol (FCF).

Para que um setor tenha reivindicações de reabertura gradual de atividades e público discutidas pelo comitê, é preciso que haja, junto ao titular executivo da Seplag, Flávio Ataliba, pedido de estudo da situação, com entrega de proposta de protocolos sanitários a serem seguidos. No caso das torcidas nos estádios em jogos da Série A, como o que foi anuído pelo Ministério da Saúde nesta semana, a FCF, Ceará e Fortaleza precisariam dar entrada neste pedido, para que o assunto passasse a ser pautado no comitê. O que, de fato, ainda não foi feito.

Conforme o presidente da FCF, Mauro Carmélio, a entidade e os clubes estão, neste momento, concluindo a elaboração dos protocolos e a solicitação para volta do público ao Castelão já em jogos de outubro aguarda apenas a reunião com a CBF, que será realizada na quinta-feira, 24.

"Estamos fazendo várias reuniões com Ceará e Fortaleza. Quando estávamos com o documento preparado para levar ao comitê do Governo, tivemos informações do documento que a CBF havia enviado ao Ministério da Saúde. E esse documento tem algumas situações diferente das do nosso documento. Por exemplo, a gente queria começar com 25%, e lá tinha 30%. Algumas coisas que tivemos que mudar. Hoje (nesta quarta) fizemos a última reunião com Ceará e Fortaleza e fechamos o pedido", detalha Carmélio.

LEIA MAIS | CBF envia para Governo Federal estudo de retorno de público aos estádios

Com a aprovação federal ao estudo e uma reunião com os 20 dirigentes marcada para esta quinta, o presidente da FCF achou por bem aguardar os desdobramentos do encontro, para entregar um documento ao Governo do Estado alinhado com a CBF e os demais clubes. O presidente estipula que o pedido pra apreciação do comitê seja entregue entre sexta-feira, 25, e segunda-feira, 28.

Outros Estados já vetaram retorno de público

Após a chancela do Ministério da Saúde, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) vetou o retorno de público aos estádios paulistas. De acordo com o Centro de Contingência do Novo Coronavírus de São Paulo, "a possibilidade foi barrada devido ao alto risco de aglomerações e disseminação do vírus dentro e fora de arenas nos dias de jogos", declarou o coordenador José Medina.

Posicionamento semelhante tomou a Prefeitura de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. "O Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus entende que ainda é prematuro liberar 30% da capacidade nos estádios, que no caso da Capital, seriam cerca de 15 mil pessoas em cada estádio", afirma nota do prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB).

Na Bahia, o governo do Estado e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), também se manifestaram de forma contrária à volta do público às partidas de futebol. Na nota, o governador Rui Costa (PT) aponta que segue em vigor o decreto que "proíbe eventos esportivos com mais de 100 pessoas".

No Rio de Janeiro, antes mesmo do documento da CBF ser entregue ao MS, o prefeito da capital, Marcelo Crivella anunciou que o Maracanã vai reabrir ao público dia 4 de outubro para jogo entre Flamengo e Atlhetico-PR. Contudo, o Governo do Estado — interinamente comandado por Cláudio Castro (PSC) — vetou a reabertura.

No Ceará, dirigentes dos três times da Capital se diziam favoráveis ao retorno, como publicado em reportagem do O POVO, no dia 10 de setembro.

Confira reportagem completa

+ Portões abertos: futebol pode ter público nos estádios em outubro

+ Como o cenário do Estado pesa na defesa dos clubes pela retomada

+ Epidemiologista acredita em estádios com público a partir do fim de outubro

+ Futebol e pandemia: o cenário da retomada de público nas maiores ligas do mundo