Participamos do

Bruno Pacheco avalia campanha do Ceará na Série A e cobra evolução no returno

Lateral-esquerdo do Vovô enaltece posição na classificação, mas reconhece necessidade de atuações melhores no segundo turno do Brasileiro
12:16 | Set. 07, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Repórter de Esportes
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Ainda com um jogo a realizar válido pelo primeiro turno, o Ceará iniciará o returno do Campeonato Brasileiro diante do Grêmio-RS, no próximo domingo, 12, às 11 horas. Com a equipe na zona de classificação para a Copa Sul-Americana, o lateral-esquerdo Bruno Pacheco vê a colocação de forma positiva, mas reconhece que o desempenho poderia ter sido melhor e cobra evolução.

Na nona posição, o Vovô conquistou 24 pontos em 18 jogos, com cinco vitórias, nove empates e quatro derrotas - aproveitamento de 44%. O duelo diante do Palmeiras-SP, pela 19ª rodada, foi adiado em razão da convocação de jogadores do clube paulista para jogos da seleção brasileira nas Eliminatórias.

"Não adianta eu ficar aqui me lamentando ou arrumando desculpa. A gente sabe que não foi um primeiro turno ruim, mas que poderia ter sido muito melhor pelas peças que aqui estão, pelo elenco que a gente tem. E a gente está insatisfeito por aquilo que está apresentando. A gente sabe que pode evoluir muito mais, apresentar muito mais. Deixamos a desejar em muitos jogos, alguns empates no final do jogo, tiveram jogos que a gente conseguiu a vitória no final. Uma oitava colocação não é ruim, mas a gente sabe que pode buscar coisas melhores na competição", ponderou o camisa 6.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A sequência de quatro partidas sem vencer e o rendimento do Alvinegro levaram a diretoria a mexer no comando técnico: Guto Ferreira foi demitido e deu lugar a Tiago Nunes. Bruno Pacheco destacou a intensidade exigida pelo novo comandante e disse que o elenco está em adaptação, mas ressaltou que os próprios atletas se cobram para crescer de produção.

"A gente se cobra isso faz tempo. Sabemos da qualidade do elenco e do nosso time. Teve jogos que a gente venceu, mas não convenceu. É claro que o importante é vencer, mas tem hora que a gente não vai conseguir vencer. E aí? A gente tem que buscar uma linha de trabalho em que jogue bem, consiga vencer, e é isso que a gente busca. A gente se cobra o tempo todo, vê onde está falhando, onde está acertando, onde pode melhorar. Esse é o caminho para buscar coisas melhores na competição", disse o lateral.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags