PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Em meio à paralisação do futebol, Ceará vive cenário de despesas controlado até maio

O Alvinegro do Porangabuçu completa nesta quarta-feira, 15, um mês sem partidas oficiais devido à paralisação do esporte

Lucas Mota
16:01 | 15/04/2020
Ceará jogou pela última vez contra o Sport, em março, em duelo sem torcida, no Castelão
Ceará jogou pela última vez contra o Sport, em março, em duelo sem torcida, no Castelão (Foto: FÁBIO LIMA/O POVO)

Apesar da crise provocada pela pandemia do coronavírus, o Ceará Sporting Club vive cenário de despesas controlado até o mês de maio, com projeção atual positiva para quitar as folhas de pagamento do futebol masculino e feminino e outros gastos operacionais. O Alvinegro do Porangabuçu completa nesta quarta-feira, 15, um mês sem partidas oficiais devido à paralisação do esporte. A última apresentação em campo ocorreu na vitória contra o Sport pela Copa do Nordeste, em confronto com portões fechados.

+ Ceará: Tiago Pagnussat elogia torcida e crê que já ter jogado no Nordeste o beneficia

O Esportes O POVO apurou que as despesas referentes ao mês de março já foram pagas. Em relação ao período de abril, o pagamento deve acontecer até a primeira quinzena de maio, quando há expectativas de retorno aos treinos. O elenco alvinegro entrou de férias neste mês, inicialmente entre 1º a 20, mas prolongado até o dia 30.

Em videoconferência entre clubes e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizada na terça-feira, 14, ficou que a retomada dos trabalhos das equipes acontecerá a partir do dia 1º de maio. Inicialmente, apenas os treinamentos devem ser liberados e a ideia é que o período de intertemporada dure entre 15 e 20 dias.

+ Fabinho revela que não há mágoa dos jogadores com Enderson: "Ele foi sincero com a gente"

Com o retorno das atividades, é especulado que os jogos dos estaduais e da Copa do Nordeste sejam realizados entre 20 de maio até o fim de junho. Caso isso não ocorra, a diretoria alvinegra estuda alternativas, mantidas em sigilo para enfrentar um período mais amplo sem futebol.

Em meio à paralisação do futebol, o clube perdeu receitas importantes. Bilheteria, cotas e programa de sócio-torcedor foram dispositivos financeiros atingidos com a pausa no esporte. Além disso, houve suspensão ou prorrogamento de contratos de patrocinadores.