PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Ceará estima perda de R$ 5 milhões de receitas por causa da paralisação do futebol

A última partida do clube ocorreu em 15 de março, quando venceu o Sport por 2 a 1 no Castelão, com portões fechados por causa da chegada da Covid-19 no Brasil

Lucas Mota
16:58 | 15/04/2020
Última partida do Ceará antes da paralisação do futebol ocorreu contra o Sport com portões fechados
Última partida do Ceará antes da paralisação do futebol ocorreu contra o Sport com portões fechados (Foto: FÁBIO LIMA)

A pandemia do coronavírus impactou em cheio as receitas no futebol brasileiro, em meio à paralisação do esporte. O Esportes O POVO apurou que o Ceará estima perda de faturamento de cerca de R$ 5 milhões neste primeiro mês sem calendário de jogos. A última partida do clube ocorreu em 15 de março, quando venceu o Sport por  2 a 1 no Castelão, com portões fechados por causa da chegada da Covid-19 no Brasil.

+ Ceará: Tiago Pagnussat elogia torcida e crê que já ter jogado no Nordeste o beneficia

Entre os impactos na receita, estão bilheteria de jogos e cotas. Contra o Sport, o clube do Porangabuçu tinha a expectativa de registrar seu maior público na temporada. O Ceará também tinha programado duelo importante contra o Fortaleza, no segundo Clássico-Rei do ano, como mandante. Além disso, a equipe vivia cenário positivo de classificações no Estadual, na Copa do Nordeste e na milionária Copa do Brasil.

O Vovô havia superado o Vitória por 1 a 0 na partida de ida do torneio nacional. O jogo da volta estava marcado inicialmente para o dia 18 de março, em Salvador, antes da paralisação do futebol. Caso avançasse diante dos baianos e chegasse a quarta fase, o Ceará embolsaria cota de R$ 2 milhões.

Na Copa do Nordeste, o time se encaminhava para a última rodada da fase de grupos dentro do G4 do Grupo B. O CRB era o último adversário em confronto fora de casa. Caso garantisse a classificação, o Alvinegro receberia a cota das quartas de final de R$ 300 mil

Sem o calendário de partidas e a crise mundial do coronavírus, o clube também teve perdas no programa de sócio-torcedor. Além disso, houve casos de suspensão e prorrogação de contratos de patrocinadores por causa do cenário de incertezas do futebol.

Como medida de enfrentamento à situação, o Ceará fez acordo de redução de salários com os jogadores e deu férias ao elenco - inicialmente entre 1º e 20 de abril e depois prolongadas até o dia 30 deste mês. A expectativa é de que os treinos possam voltar a partir de maio.

Apesar das dificuldades, a diretoria alvinegra tem cenário de despesas controlado. A agremiação quitou todas as contas referentes ao mês de março. Em relação ao período de abril, o pagamento deve acontecer até a primeira quinzena de maio.