PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

"Ele é experiente, sabe lidar com essa pressão", declara Fabinho sobre protestos da torcida contra Argel Fucks

Em coletiva após o jogo, o volante do Ceará exaltou a entrega dos jogadores, falou sobre a evolução da equipe e ponderou sobre as escolhas de Argel Fucks para a equipe

01:21 | 06/02/2020
Argel Fuck foi alvo de protestos da torcida ao fim da partida contra o Pacajus
Argel Fuck foi alvo de protestos da torcida ao fim da partida contra o Pacajus (Foto: Aurélio Alves)

A aguardada vitória depois de uma jejum de dez jogos (no acumulado de 2019 e 2020) veio. Mas o 1 a 0 diante do Pacajus, pelo Campeonato Cearense, com uma atuação aquém do esperado não agradou a torcida. Ao fim da partida, parte do público presente no Estádio Presidente Vargas protestou contra o técnico Argel Fucks, aos gritos de "Ôôô queremos treinador". Em entrevista coletiva, o volante Fabinho exaltou a entrega da equipe e defendeu o comandante.

"O Argel é um treinador experiente, já foi jogador, ele sabe. Eu entendo a cobrança do torcedor, como eu falei, é uma cobrança positiva, que quer ver o time vencer, quer ver o time jogar bem. Mas sabemos das dificuldades que é montar uma equipe nova, e no Clássico(-Rei, no último sábado, 1º, com em pate em 1 a 1) foi um jogo diferente. Quando você joga com um time do Interior, é um jogo totalmente diferente também. Ele mudou a equipe inteira do jogo passado, só não o Klaus (autor dos gols nas duas partidas). O argel ele sempre procura dar oportunidade pra todo mundo. Como ele é experiente, ele sabe lidar com essa pressão, mas acredito que o trabalho tem de só a evoluir, são quatro, cinco jogos, e ele tá rodando bastante a equipe", ponderou.

+Em retorno aos campos, Ricardinho comemora quebra de jejum de vitórias do Ceará

O triunfo, para Fabinho, dá certa "confiança para continuar trabalhando", mas o atleta compreende que, a cada jogo, ainda mais com múltiplas competições ocorrendo, a pressão por resultados vai continuar existindo. "Próximo jogo é pressão, é exigência da vitória novamente. Nós precisamos ter convicção da pressão, em cima das vitórias também, para que a gente possa continuar evoluindo", acredita.