PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Ceará bate o Pacajus pelo Estadual e encerra jejum de 10 jogos sem vitórias

A partida marcou também a primeira vitória de Argel Fucks no Ceará, após sete jogos à frente do clube.

Bruno Balacó
23:25 | 05/02/2020
Jogadores celebram o primeiro gol do Ceará, marcado pelo zagueiro Klaus.
Jogadores celebram o primeiro gol do Ceará, marcado pelo zagueiro Klaus. (Foto: Aurélio Alves/O POVO )

Foi com um placar magro e com uma atuação sem brilho, mas Argel Fucks venceu sua primeira partida no comando do Ceará, após sete jogos à frente do clube. Mais que isso: o triunfo de 1 a 0 sobre o Pacajus, na noite desta quarta-feira, 5, no estádio Presidente Vargas, serviu também para pôr fim a um jejum de 10 jogos sem vitória da equipe. A série negativa se arrastava há quase três meses, incluindo os sete jogos do Brasileirão do ano passado e as três partidas que o time havia feito nesta temporada.

Mesmo com a vitória, Argel foi alvo de protestos da torcida. No intervalo e na saída de campo, os poucos torcedores que foram ao PV vaiaram o time e voltaram a puxar o coro “ô, ô, ô, queremos treinador”, além de gritos com xingamentos ao técnico na saída de campo, após o apito final do árbitro. 

O Ceará entrou em campo com um time alternativo, em relação ao que iniciou o duelo contra o Fortaleza, no último sábado, com destaque para os primeiros minutos da temporada para o trio de meio-campistas Ricardinho, Juninho Quixadá e Lima. Mas foi um remanescente do time titular do Clássico-Rei que balançou as redes e decidiu a partida para o Vovô: Klaus, que marcou pelo segundo jogo seguido. Após cobrança de falta de Vinícius pela direita, o zagueiro alvinegro subiu alto e testou firme de cabeça, abrindo o placar no PV.

O gol foi uma das poucas jogadas de ataque efetivas que o time criou nos primeiros 45 minutos. Apesar de ter mais volume de jogo, o Ceará pecava no último passe e falhava no arremate final, como no lance em que Rodrigão recebeu livre na área e cabeceou torto, com a bola passando pela lateral da meta. No fim do primeiro tempo, o Pacajus ainda deu um susto no Vovô, ao acertar uma bola na trave, em finalização de Paulista.

Na volta para o segundo tempo, o Ceará seguiu sem intensidade e criatividade nas subidas ao ataque. Atendendo a um pedido das arquibancadas, Argel colocou Juninho Quixadá em campo. Na sequência, o atacante Bergson também entrou no jogo. Mas o panorama do jogo pouco se modificou, com o Pacajus chegando a esboçar uma reação, com a construção de algumas jogadas de ataque, que terminavam sempre em um arremate sem perigo ao gol do goleiro Diogo Silva.

O fim de jogo foi sonolento, sem oportunidades criadas pelas duas equipes. Com dificuldade para encaixar o último passe, o Alvinegro só conseguiu criar a última oportunidade na etapa final nos acréscimos, em chute forte de Mateus Gonçalves na área, que foi espalmado pelo goleiro Jhones. De forma irônica, a torcida alvinegra ainda gritou 'olé' com a troca de passes sem objetividade dos jogadores do Vovô nos instantes finais do jogo. 

O Ceará vira a chave do Campeonato Cearense e pensa agora na Copa do Nordeste. No sábado, o time enfrenta o ABC, às 16h, na Arena das Dunas, em Natal. Já o Pacajus só tem compromisso marcado para o dia 19 de fevereiro, contra o Guarany de Sobral, às 21h30min, no estádio do Junco, em Sobral.

FICHA TÉCNICA
Data: 05/02/2020
Local: estádio Presidente Vargas, em Fortaleza
Árbitro: Carlos Custódio
Assistentes: Wesley Miguel e Zaqueu Linhares
Arbitro Assistente 2: Cartões: Klaus e Eduardo (C); Marcos Wesley Victor (P)
Público e renda: não divulgados
Gols: Klaus, aos 16 do 1º T

Ceará (4-2-3-1): Diogo Silva; Eduardo, Brock, Klaus e Kelvyn; Fabinho, Fernando Sobral (Ricardinho); Vinícius (Juninho Quixadá), Mateus Gonçalves e Lima; Rodrigão (Bergson). Técnico: Argel Fucks

Pacajus (4-3-3): Jhones; Felipe, Kelvin, Victor e João Paulo; Michel, Dedê (Anderson Manga) e Bersan; Testinha (Thiago Furlan), Marcos Wesley e Paulista (Júnior Dindê). Técnico: Júnior Cearense