Participamos do

Dois casos da variante Ômicron são confirmados no Distrito Federal

Com as confirmações, o número de casos da nova variante de preocupação do coronavírus no Brasil sobe para cinco. São Paulo já confirmou três casos
17:34 | Dez. 02, 2021
Autor Ana Rute Ramires
Foto do autor
Ana Rute Ramires Repórter da editoria de Cidades
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Dois casos de pacientes infectados com a variante Ômicron do coronavírus foram confirmados no Distrito Federal. Com os três já confirmados em São Paulo, sobe para cinco o número de casos da nova variante de preocupação no Brasil. Segundo a Secretaria da Saúde do Distrito Federal informou nesta quinta-feira, 2, os dois pacientes vieram da África do Sul.

Ambos estavam em um voo que passou pela Etiópia e aterrissou no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo no último sábado, 27, conforme o portal G1. Após chegada no País, os dois passageiros seguiram para Brasília.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O que se sabe sobre a Ômicron?

Possivelmente mais contagiosa, ela pode dificultar a reação do sistema imunológico. Pesquisadores estão preocupados com o fato de a Ômicron conter um número considerado extremamente alto de mutações do coronavírus. Eles encontraram 32 mutações na chamada proteína "spike" (S). Na variante delta, considerada altamente infecciosa, foram encontradas oito mutações.

Ao mesmo tempo que o número de mutações nessa proteína não é uma indicação exata do quão perigosa a variante pode ser, isso sugere que o sistema imunológico humano pode ter maior dificuldade em combater a nova variante.

LEIA TAMBÉM | Covid: com testagem insuficiente, Brasil pode demorar a ver nova onda chegando

Nesta segunda-feira, 29, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a variante representa um risco global muito alto, apontando que a cepa apresenta mutações preocupantes, provavelmente se espalhará internacionalmente e pode ter consequências graves.

A agência ressaltou, no entanto, que são necessários mais estudos sobre o potencial de a nova variante escapar da imunidade induzida tanto por vacinas quanto por infecções anteriores e que ainda não foram registradas mortes ligadas à cepa.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags