Participamos do

Vacinação em Fortaleza: D2 continua sendo aplicada normalmente, mesmo sem listas

Segundo a Prefeitura de Fortaleza, a falta de lista se dá porque não há número suficiente de pessoas no prazo para tomar a segunda dose, mesmo com o adiantamento
13:33 | Ago. 16, 2021
Autor Júlia Duarte
Foto do autor
Júlia Duarte Estagiária
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Desde a sexta-feira, 13, as listas para aplicação de segundas doses em Fortaleza não vêm sendo divulgadas. Para esta terça-feira, 17, o atendimento segue sendo priorizado apenas para primeira dose (D1). De acordo com a Secretária Municipal de Saúde, (SMS), entretanto, a aplicação da segunda dose (D2) continua acontecendo normalmente para quem perdeu o agendamento ou chegou à data limite no cartão de vacinação.

Segundo a Prefeitura de Fortaleza, a falta de lista se dá porque não há número suficiente de pessoas no prazo para tomar a D2, mesmo com o adiantamento. A pasta negou que esteja passando por problemas de abastecimento e pontuou que a decisão de não estar havendo listas é logística. A secretaria explica ainda que a estratégia de vacinação varia dependendo dos dias e da demanda.

A gestão tem antecipado o tempo entre a primeira e segunda doses para completar o esquema vacinal, que varia entre 15 e 30 dias, conforme relatos recebidos pelo O POVO. Entre junho e julho, a administração antecipou o agendamento da segunda dose (D2) da vacina AstraZeneca de cerca de 15 mil pessoas. Na época, Erlemus Soares, coordenador da Rede de Atenção Primária e Psicossocial, considerou que o adiantamento das datas acontece porque a segunda dose “é muito importante" para a imunização.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

LEIA MAIS | Por que países adotam intervalo menor em doses da AstraZeneca? Brasil não acompanha

A Fiocruz, que é responsável pela produção da vacina AstraZeneca no Brasil, manteve, em julho, a recomendação de 12 semanas, três meses, para o intervalo entre a aplicação das duas doses do imunizante. A decisão aconteceu em meio a um movimento de pelo menos oito estados do País em adiantar a aplicação da segunda dose da vacina.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) sugeriu em junho que o intervalo entre as doses deveria ser encurtado por conta da predominância das novas variantes no continente, como a Delta.

O que fazer se perdi a data da segunda dose?

As pessoas que já tomaram a primeira dose (D1) e perderam sua data da aplicação da segunda dose (D2) podem procurar os pontos definidos para cada tipo de imunizante, sem necessidade de agendamento. A mesma recomendação vale para quem chegou à data limite do cartão de vacinação e não foi chamado.

LEIA MAIS | O que fazer se perdi agendamento de primeira ou segunda dose em Fortaleza?

Segundo Erlemus Soares, determinados pontos de vacinação separam estoque justamente para esses casos. O Centro de Eventos reúne todos os três imunizantes aplicados no Ceará que precisam de segunda dose: Pfizer, Coronavac e AstraZeneca. Já os Cucas devem ser procurados em casos de segunda dose de Coronavac e os postos de saúde, no caso da AstraZeneca.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags