Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Servidor do Ceará que recusar vacina poderá ser até demitido, anuncia Camilo

As punições poderão ser desde um alerta até a demissão, segundo o governador Camilo Santana (PT) nesta segunda-feira, 16
11:52 | Ago. 16, 2021
Autor Lais Oliveira
Foto do autor
Lais Oliveira Estagiária do O POVO Online
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

No Ceará, o servidor público que não se vacinar contra a Covid-19 sem justificativa sofrerá sanções administrativas. A informação foi divulgada pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), nesta segunda-feira, 16. Um projeto de lei será encaminhado pelo Governo à Assembleia Legislativa do Estado (AL-CE) ainda hoje. As punições poderão ser desde um alerta até a demissão

"Tem pessoas que resistem a se vacinar ou por ideologia política ou por acreditar nisso, e isso é um absurdo. Nós estamos colocando aqui é que a Ciência tem orientado que a única forma que nós temos de superar essa pandemia, que já tirou milhares de vidas de cearense e brasileiros, é através da vacina", enfatizou.


O governador informou que as sanções valem para pessoas que recusarem vacinação sem justificativa médica. "Até pela natureza de serviço público, que é sempre estar em contato com a sociedade, existe a importância do servidor público se vacinar pra se proteger, proteger a sua família mas também proteger a sociedade", disse Camilo.

Na ocasião, Camilo ainda informou que 96 mil pessoas em Fortaleza estão aptas para se vacinar e não foram. Na Capital, quem tem a partir de 40 anos pode buscar postos de vacinação sem agendamento. Além disso, 217 mil pessoas entre 19 e 39 anos foram agendadas, mas não compareceram à vacinação. 

O projeto de lei assinado pelo governador deve detalhar a aplicação das sanções e será encaminhado ainda hoje para a Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE).

LEIA MAISJustiça confirma demissão após recusa de vacina

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará tem menor ocupação em enfermaria desde o início da pandemia

Covid-19
00:30 | Ago. 15, 2021
Autor Gabriela Custódio
Foto do autor
Gabriela Custódio Autor
Ver perfil do autor
Tipo

O Ceará registrou, neste sábado, 14, a menor taxa de ocupação nos leitos de enfermaria destinados a pacientes com Covid-19 desde o início da pandemia. Cerca de 17% das 642 vagas estavam preenchidas por volta das 18h20min. É o equivalente a um leito ocupado a cada seis disponíveis. Enquanto isso, no dia 20 de abril deste ano — data em que se registrou a maior taxa de ocupação em toda a pandemia —, havia pacientes internados em 84% dos 3.226 leitos disponíveis.

A quantidade de leitos de enfermaria disponíveis também chama atenção. Um número menor que o atual (642) só foi registrado no início da pandemia, em 29 de abril de 2020, primeiro dia de registro existente no IntegraSUS, plataforma da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa). E naquele dia, em que havia 571 leitos, a taxa de ocupação era de cerca de 52%.

A taxa de ocupação na enfermaria também foi a menor já registrada no Estado quando se olha apenas para as unidades de saúde privadas: 2,6%. Ao todo, a rede privada contava, até a última atualização dos dados coletados pelo O POVO, com 38 leitos.

Na última sexta-feira, 13, o médico Elias Leite, presidente da Unimed Fortaleza, comemorou os baixos números registrados no Hospital Regional da Unimed (HRU). Em vídeo publicado nas redes sociais, ele afirmou que a unidade chegou, naquele dia, ao menor número de internados pela Covid-19 em comparação ao ano passado: 36 pacientes, sendo 13 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e oito com uso de respiradores. Em 2020, o menor registro foi de 37 pacientes.

Na rede pública, as menores taxas de ocupação em enfermaria para pacientes com Covid-19 também foram registradas nos últimos dias. A menor foi registrada na sexta-feira, 13: 19,5% de ocupação em 436 leitos disponíveis. Neste sábado, havia 310 leitos, dos quais cerca de 23% estavam ocupados.

Entre as entidades sem fins lucrativos, a taxa de ocupação de leitos era de 10,5% de 265 vagas disponíveis — segunda menor taxa de ocupação desde o começo da pandemia.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Frases da semana

00:30 | Ago. 15, 2021
Autor
Tipo Notícia

 

 

 

“Muitos governadores, como esse desse estado, simplesmente mandou fechar o comércio, decretou lockdown, confinamento, toque de recolher”

JAIR BOLSONADO (Sem partido), presidente da República, em visita a Juazeiro do Norte, acusando o governador Camilo Santana de ter atuado de forma criminosa e maldosa para conter a pandemia da Covid-19

 


“Criminoso, sr presidente, é ignorar a perda de mais de meio milhão de vidas na pandemia e ainda debochar da dor das famílias. Tivéssemos um Gov Federal mais preocupado com a vida, milhares teriam sido salvas. Seus ataques jamais irão tirar de mima força para continuar lutando”

CAMILO SANTANA (PT), governador do Ceará, respondendo ataque do presidente Jair Bolsonaro pelo Twitter

 


“Decisão lamentável. Nosso único objetivo tem sido preservar a vida dos cearenses e de quem nos visita. O Estado do Ceará irá recorrer”

CAMILO SANTANA (PT), governador do Ceará, sobre a decisão do TRF-5 que derrubou a decisão de primeira instância da Justiça Federal exigindo vacinação ou exame negativo para Covid de quem desembarca no Estado

 


“Muitas pessoas têm perdido a vida por covid mesmo após a segunda dose”

JAIR BOLSONARO (Sem partido), presidente da República, voltando a defender o tratamento precoce e fazendo campanha contra a vacina

 

 

“Conservadores sendo presos por um tribunal corrupto, que é o Supremo... Uma organização criminosa para servir aos interesses dos comunistas e para praticar abuso de autoridade e constrangimento ilegal”

ROBERTO JEFFERSON, ex-deputado e presidente nacional do PTB, ao saber que seria preso pela PF, por decisão do ministro Alexandre de Moraes, no inquérito que investiga milícias digitais

 


“Cadê o “ACABOU PORRA”? Estão prendendo os conservadores e o bonitão não faz nada??? O próximo será ele! E se não for preso, não vai poder sair nas ruas já já. ACOOOOOORDA!!!”

CRISTHIANE BRASIL, filha de Roberto Jefferson, pelo Twitter

 

 

“O mundo inteiro quer comprar vacina, e espero que essa CPI traga bons resultados ao Brasil. Porque o negativo já produziu muito: afastou empresas interessadas em vender vacina ao Brasil”

RICARDO BARROS (PP-PR), líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, em depoimento da CPI da Covid, causando indignação nos integrantes da Comissão e a interrupção da sessão pelo presidente Omar Aziz (PSD-AM). Os senadores alertaram que a CPI funciona há três meses e que governo Bolsonaro deixou de comprar vacina ainda no ano passado

 


“Se foi pensada, foi uma estratégia equivocada. Só fez com que tivéssemos que reagir duramente. Talvez a cena mais grotesca da CPI”

SIMONE TEBET (MDB-MS), senadora, integrante da CPI da Covid, sobre a fala do líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), durante seu depoimento

 


“É um momento grave da vida nacional que não comporta molecagem, que não comporta brincadeira. Existem repostas sérias. E não temos como fazer isso nessa circunstância e com esse depoente”

ALESSANDRO VIEIRA (Cidadania-SE), senador, que propôs encerrar a sessão do depoimento Ricardo Barros à CPI da Covid

 


“O grand finale dele foi querer fazer uma narrativa de que é a CPI que está atrapalhando a compra de vacina. Aí não dá. A própria empresa chinesa já desmentiu”

OMAR AZIZ (PSD-AM), presidente da CPI da Covid no Senado

 

 

 

“Colocar tanques na rua não é demonstração de força, e sim de COVARDIA”

RANDOLFE RODRIGUES (Rede-AP), senador, pelo Twitter sobre a parada militar de tanques da Marinha, na Esplanada do Ministério, em Brasília

 


“Foi uma coincidência de datas. Na verdade, o Congresso marcou na data que a gente já tinha programado. Então talvez isso é que tenha criado todo um pouco de ruído”

ALMIRANTE ALMIR GARNIER, comandante da Marinha, sobre o desfile de tanques no esmo dia que a Câmara agendou a votação da proposta do voto impresso

 


“O Brasil ficou ainda mais exposto ao ridículo internacional. Foi motivo de chacota nos grandes jornais internacionais. Mostrando tanques ultrapassados, expelindo monóxido de carbono, e um deles virou... É de um ridículo atroz”

JOÃO DÓRIA (PSDB), governador de São Paulo

 


“O governo militar tinha certa impessoalidade, com todos os defeitos, torturava, matava. Mas nunca vi o Geisel, nem o Médici chamarem o exército de 'meu exército', 'minhas forças armadas'”

CELSO AMORIM, ex-ministro da Defesa, em entrevista ao UOL, criticando a simbiose entre as Forças Armadas e o presidente Jair Bolsonaro

 


“... está reafirmado o nosso compromisso com a democracia. E absolutamente nada, e ninguém, haverá de intimidar as prerrogativas do parlamento”

RODRIGO PACHECO (DEM-MG), presidente do Senado, sobre o desfile de tanques das Forças Armadas em Brasília

 

 

 

“Bolsonaro perdeu. Espero que agora ele cuide dos verdadeiros problemas do Brasil”

RODRIGO MAIA (Sem partido-RJ), deputado federal sobre a rejeição do voto impresso pela Câmara dos Deputados. O projeto é bandeira do presidente Jair Bolsonaro

 


“A Câmara enterrou a possibilidade de auditarmos as eleições. Uma lástima!”

BIA KICIS (PSL-SP), deputada federal bolsonarista, sobre a votação que rejeitou a PEC do voto impresso

 


“O voto segue eletrônico - e auditável - tal como o sistema já permite. Mas o importante, mesmo, é que o voto será de Fora Bolsonaro. Fora retrocesso, obscurantismo, negacionismo... Isso que precisa ser impresso!”

FELIPE SANTA CRUZ, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil

 


“Considero que esse pronunciamento da Câmara a respeito desse tema torna definitiva e resolvida esta questão, não cabendo ao Senado qualquer tipo de deliberação ou de tramitação de uma matéria com o mesmo objeto”

RODRIGO PACHECO (DEM-MG), presidente do Senado, dando por encerrado a questão do voto impresso, após o resultado da votação na Câmara Federal

 


“O próprio presidente Bolsonaro e sua família sempre foram eleitos pelo voto eletrônico e nunca reclamaram. A única eleição que houve fraude foi a dele porque foi mentirosa com base em milhões de fake News”

“Sou favorável ao voto eletrônico porque não sei se não fosse isso eu teria um dia sido presidente da República nesse País”

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA (PT-SP), ex-presidente da República, sobre a rejeição da PEC do voto impresso

 


“Nós nos dirigimos a todas as pessoas de boa-fé. Para a má-fe não temos solução. Combatemos o ódio, a mentira, a desinformação e os ataques descontrolados com amor ao Brasil, verdade, transparência, educação e respeito ao próximo porque esse é o País que nós queremos”

LUÍS ROBERTO BARROSO, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ao anunciar ampliação nos processos de auditoria das urnas eletrônicas

 

 

 


“Universidade, na verdade, ela deveria ser para poucos nesse sentido de ser útil à sociedade”

MILTON RIBEIRO, ministro da Educação, defendendo que os institutos federais de ensino técnico é que deveriam ser “protagonistas do futuro”

 

 

 

“O que a vacina está impedindo é a morte das pessoas, 99% dos mortos nos Estados Unidos neste momento são de não vacinados. Isso já explica para vocês qual é a verdadeira importância da vacina, você ser vacinado já diminui drasticamente, colossalmente, a quantidade de mortos no mundo”

FELIPE NETO, youtuber e empresário, ao rebater ataques depois de anunciar que testou positivo para a Covid-19, esmo estando vacinado

 

 


“Viva Paulo José e todos os mil personagens que moravam dentro dele. Ele fez nossos melhores filmes ou pelo menos os meus preferidos”

GREGÓRIO DUVIVIER, ator, humorista e escritor sobre o ator Paulo José

 


“Que perda. Um dos maiores atores desse país. Uma convivência agradável, um homem inspirador, um gênio com as palavras”

LÁZARO RAMOS, ator, sobre Paulo José

 


“Perdemos um dos gigantes da dramaturgia brasileira”

PADRE REGINALDO MANZOTTI, sobre as mortes dos atores Paulo José e Tarcísio Meira

 


"Mais um de nós se vai, mais um ícone da nossa profissão, aquele para quem a palavra galã parece ter sido inventada”

MIGUEL FALABELLA, ator e escritor, sobre Tarcísio Meira

 


“Que tristeza. Como se parte da minha vida fosse embora. Amo o casal e o meu sofrimento é intenso... Dor profunda”

JOSÉ BONIFÁCIO DE OLIVEIRA SOBRINHO, o Boni

 

 

 


“Senti tanto a falta deles durante a pandemia, eu queria ouvir uma ovação de pé com meu nome. Se eu tivesse imaginado, seria com o estádio lotado... as quero agradecer todo o carinho desses anos”

LIONEL MESSI, na coletiva de despedida do Barcelona, falando dos torcedores

 

“Estou impaciente por começar um novo capítulo da minha carreira em Paris”

LIONEL MESSI, ao chegar a Paris para apresentação ao Paris Saint-Germain (PSG), seu novo clube, onde jogará com a camisa 30 por duas temporadas

 

 

 


“Amores, eu adoro o Fiuk. Ele é um homem lindo, sensível, inteligente e talentoso. Está tudo bem. Na pandemia, ninguém está no seu melhor estado emocional. A gente sabe o quanto comentários maldosos podem ferir alguém na internet”

TATÁ WERNECK, atriz e apresentadora do programa Lady Night, sobre boatos nas redes sociais de que teria havido um ‘barraco’ entre ela e o cantor Fiuk, durante a gravação do programa

 


“Queria deixar aqui minhas desculpas tão públicas e sinceras pela gafe pra Fê Souza e pro Thiaguinho, que eu amo. E dizer que apesar deles estarem super bem resolvidos, parece que quem não superou essa separação até hoje fui eu, né?”

TAÍS ARAÚJO, atriz ao pedir desculpas por ter esquecido o divórcio de Fernanda Souza e Thiaguinho, na estreia do The Masked Singer Brasil (TV Globo)

 

 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará tem menor ocupação em enfermaria desde o início da pandemia

Covid-19
20:17 | Ago. 14, 2021
Autor Gabriela Custódio
Foto do autor
Gabriela Custódio Autor
Ver perfil do autor
Tipo

O Ceará registrou, neste sábado, 14, a menor taxa de ocupação nos leitos de enfermaria destinados a pacientes com Covid-19 desde o início da pandemia. Cerca de 17% das 642 vagas estavam preenchidas por volta das 18h20min. É o equivalente a um leito ocupado a cada seis disponíveis. Enquanto isso, no dia 20 de abril deste ano — data em que se registrou a maior taxa de ocupação em toda a pandemia —, havia pacientes internados em 84% dos 3.226 leitos disponíveis.

A quantidade de leitos de enfermaria disponíveis também chama atenção. Um número menor que o atual (642) só foi registrado no início da pandemia, em 29 de abril de 2020, primeiro dia de registro existente no IntegraSUS, plataforma da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa). E naquele dia, em que havia 571 leitos, a taxa de ocupação era de cerca de 52%.

A taxa de ocupação na enfermaria também foi a menor já registrada no Estado quando se olha apenas para as unidades de saúde privadas: 2,6%. Ao todo, a rede privada contava, até a última atualização dos dados coletados pelo O POVO, com 38 leitos.

Na última sexta-feira, 13, o médico Elias Leite, presidente da Unimed Fortaleza, comemorou os baixos números registrados no Hospital Regional da Unimed (HRU). Em vídeo publicado nas redes sociais, ele afirmou que a unidade chegou, naquele dia, ao menor número de internados pela Covid-19 em comparação ao ano passado: 36 pacientes, sendo 13 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e oito com uso de respiradores. Em 2020, o menor registro foi de 37 pacientes.

Na rede pública, as menores taxas de ocupação em enfermaria para pacientes com Covid-19 também foram registradas nos últimos dias. A menor foi registrada na sexta-feira, 13: 19,5% de ocupação em 436 leitos disponíveis. Neste sábado, havia 310 leitos, dos quais cerca de 23% estavam ocupados.

Entre as entidades sem fins lucrativos, a taxa de ocupação de leitos era de 10,5% de 265 vagas disponíveis — segunda menor taxa de ocupação desde o começo da pandemia.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Wagner: fala de Bolsonaro "consolida ainda mais nossa pré-candidatura"

Reportagem
00:06 | Ago. 14, 2021
Autor Henrique Araújo
Foto do autor
Henrique Araújo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Pré-candidato ao Governo do Estado, Capitão Wagner (Pros) avalia que a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), colocando-o na condição de postulante ao Abolição, "consolida ainda mais nossa pré-candidatura".

"Fiquei feliz com a fala do presidente. A gente já lançou nossa pré-candidatura ao Governo do Estado. A gente está ao lado de um grupo de parlamentares reforçado", declarou.

Wagner acompanhou Bolsonaro em voo de Brasília até Juazeiro do Norte, onde participou da cerimônia de entrega de residências do programa Casa Verde e Amarela.

Ao fim do evento, o deputado federal seguiu ao lado do presidente, agora rumo ao aeroporto da cidade. Durante sua fala, Bolsonaro declarou que o Brasil já tem um capitão na Presidência e que o Ceará poderá ter um capitão no Governo.

Para o parlamentar e potencial candidato, "a presença do governo foi intensa nas três últimas semanas" no Ceará. Ele destacou visitas recentes de ministros de Bolsonaro, como Marcelo Queiroga (Saúde), que esteve em Sobral nesta semana. "O Nordeste é sempre muito carente da presença do Governo Federal", disse.

Em relação a críticas que Bolsonaro fez ao governador Camilo Santana (PT) quanto a ações de combate à pandemia, Wagner falou que "algumas medidas foram certas, mas algumas foram exageradas".

"A gente concorda com o presidente. Esse ato do governador Camilo na véspera da chegada do presidente foi para criar imbróglio, para criar constrangimento", defendeu, referindo-se à determinação do Estado para que visitantes apresentassem declaração de teste negativo para Covid.

O parlamentar acrescentou ainda que "o governador tinha que diminuir um pouco esse tensionamento com o presidente, até porque o Estado precisa muito do Governo Federal", e que "o governo tem sido parceiro, temos que ter reconhecimento". (Henrique Araújo/enviado a Juazeiro do Norte)

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

"Estamos vivendo um estado de aberração no país", diz Mayra

Reportagem
00:06 | Ago. 14, 2021
Autor Henrique Araújo
Foto do autor
Henrique Araújo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Presente ao evento de entrega de 2,8 mil casas em Juazeiro do Norte com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ontem, a secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, disse que "estamos vivendo estado de aberração no país".

"As pessoas são perseguidas e presas por exercer sua liberdade. Só funciona para um lado, para o outro, não", criticou Mayra, alvo de investigação na CPI da Covid.

Uma das defensoras das medidas adotadas pelo Governo durante a pandemia, como estímulo a medicamento sem eficácia comprovada contra a pandemia, Mayra se referia às decisões recentes do ministro do Supremo Alexandre de Moraes, principalmente a que determinou a prisão do ex-deputado Roberto Jefferson.

Presidente nacional do PTB, Jefferson é hoje um aliado do governo Bolsonaro. O ex-deputado foi alvo de pedido de prisão preventiva feito pela Polícia Federal autorizado pelo STF.

Durante seu discurso no evento em Juazeiro do Norte, Bolsonaro não citou a decisão do Supremo, tampouco voltou a criticar ministros da Corte, como tem feito sistematicamente há quase um mês.

 

Embora tenha estado ao lado presidente durante a chegada do presidente ao município cearense, Mayra não dividiu o palco com o mandatário, deputados, vereadores e ministros.

Sobre a agenda cumprida pelo chefe do Executivo na cidade, a secretária respondeu que "é uma honra porque minhas origens são do Cariri, terra dos cearenses".

Questionada sobre planos para as eleições do ano que vem, disse: "Não estou pensando em 2022. No momento, a coisa mais importante é cumprir o que eu me determinei no Ministério da Saúde". (Henrique Araújo/enviado a Juazeiro do Norte)

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags