PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Anvisa autoriza inicio dos testes clínicos em humanos da vacina ButanVac

Segundo a agência, os testes serão realizados em duas etapas e contaram com cerca de seis mil voluntários com 18 anos ou mais. A imunização terá um intervalo de 28 dias entre as duas doses

21:35 | 09/06/2021
A vacina será a primeira 100% brasileira (Foto: Governo do Estado de São Paulo/Reprodução)
A vacina será a primeira 100% brasileira (Foto: Governo do Estado de São Paulo/Reprodução)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta quarta-feira, 9, o início dos testes em humanos da vacina ButanVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan. O imunizante contra a Covid-19 promete ser o primeiro de produção completamente nacional, sem que seja necessária a importação de matéria-prima. De acordo com a Anvisa, como essa é a primeira vez que a vacina será aplicada em humanos, as pesquisas serão conduzidas em duas fases clínicas.

Antes de dar início à imunização dos voluntários, o Butantan ainda irá apresentar algumas informações complementares sobre a vacina. Segundo comunicado, ao longo dos últimos dois meses, Anvisa e Butantan realizaram reuniões para que todos aspectos do estudo estivessem claros e com garantias de segurança aos voluntários.

“Neste momento, está autorizada a etapa A do estudo que vai envolver 400 voluntários. Ao todo, a fase clínica 1 e 2 tem previsão de 6 mil voluntários com 18 anos ou mais", explicou a Anvisa. O imunizante será aplicado com duas doses, em um intervalo de 28 dias, entre a primeira e a segunda dose. O estudo deve ser realizado no Hospital das Clínicas (FMUSP) e no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

O principal insumo para a fabricação da ButanVac é derivado de ovos de galinha, mesmo material utilizado na produção da vacina da gripe. Para se tornar um imunizante, os pesquisadores injetam nos ovos uma pequena quantidade de um adenovírus da “doença de Newcastle”, inofensivo em humanos. Geneticamente modificado, o vírus recebe a estrutura do coronavírus estimula a produção de anticorpos contra a Covid-19.

O governador de São Paulo, João Dória, comemorou nas redes sociais a autorização para início dos testes. "A Anvisa acaba de autorizar os testes clínicos com a ButanVac, a vacina do Butantan contra a Covid-19, que não depende de insumos de outros países para sua produção. O Instituto Butantan já tem 7 milhões de doses prontas da ButanVac. Grande notícia. Obrigado Anvisa", escreveu Doria. Se os testes forem bem sucedidos, a produção permitiria a independência de importação de insumos da Índia e da China, acelerando a imunização no País.