PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Reunião para discutir novo decreto estadual será realizada amanhã, 7

No dia 12 de abril, o Ceará iniciou processo de reabertura gradual restrito aos dias de semana. Na última sexta, 30, decreto permitiu reabertura da economia aos fins de semana

15:45 | 06/05/2021
Governador Camilo Santana destacou, em entrevista à Rádio O POVO CBN, nesta quinta-feira, 6 de maio de 2021, que a segunda onda da pandemia foi mais agressiva  (Foto: Reprodução / Facebook)
Governador Camilo Santana destacou, em entrevista à Rádio O POVO CBN, nesta quinta-feira, 6 de maio de 2021, que a segunda onda da pandemia foi mais agressiva (Foto: Reprodução / Facebook)

ATUALIZAÇÃO: DECRETO É PRORROGADO NO CEARÁ. VEJA AS REGRAS QUE SEGUEM EM VIGOR

Reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus, que delibera sobre ações no Ceará, será realizada nesta sexta-feira, 7. Em entrevista à Rádio O POVO/CBN nesta quinta-feira, 6, o governador Camilo Santana reiterou que decisão sobre novo decreto será baseada nos indicadores epidemiológicos. Segundo ele, o número de casos e óbitos diários, bem como a ocupação hospitalar, continua caindo

A volta às aulas do ensino médio será uma das pautas da discussão. "Essa decisão tem sido sempre discutida no Comitê. A decisão era um retorno gradual, autorizamos até a terceira série do fundamental e depois até o nono ano ensino fundamental, e vamos avaliar. A preocupação é que a gente possa ter essa graduação do retorno para não regredir", disse.

O governador destacou que a segunda onda da pandemia foi mais agressiva, atingindo pessoas mais jovens. "Os números nas últimas semanas vêm caindo, não só de casos, mas óbitos e pressão hospitalar, fruto das medidas restritivas que foram importantes para conter o avanço da pandemia", acrescentou. 

Na última sexta-feira, 30, o grupo decidiu pelo início da reabertura da economia aos fins de semana. "Na última reunião, já autorizamos o retorno de boa parte das atividades econômicas com horários restritos ainda", lembrou. 

O Estado ficou em lockdown entre 13 de março e 12 de abril, quando passou a flexibilizar atividades, determinando horário de funcionamento para setores econômicos e limitando capacidade de ocupação. A medida, contudo, só valia durante a semana, ficando sábado e domingo ainda sob isolamento rígido.


LEIA MAIS l  "Faltou a autoridade máxima do País assumir a responsabilidade", diz Camilo sobre atuação de Bolsonaro na pandemia 

"Esse senador tem defendido o projeto do Bolsonaro. Isso é inadmissível", diz Camilo sobre Girão

Veja entrevista de Camilo Santana na Rádio O POVO/CBN na íntegra