PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Ceará tem quarto dia seguido com ocupação de UTIs abaixo de 90%

Fortaleza tem seis hospitais com UTIs lotadas. No dia 15 de março, esse número já foi de 13 unidades com 100% de ocupação. Dos 184 municípios cearenses, 181 estão com nível de alerta altíssimo para a circulação da pandemia

Leonardo Maia
21:28 | 03/05/2021
Os leitos de UTI são usados para casos de maior agravamento da Covid-19. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaeza)
Os leitos de UTI são usados para casos de maior agravamento da Covid-19. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaeza)

A ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Ceará ficou abaixo de 90% pelo quarto dia seguido nesta segunda-feira, 3. Hoje, 88,55% dos 1.345 leitos de UTI ativos estão ocupados no Estado. Em relação às enfermarias, a ocupação é de 74,04%, taxa que segue abaixo de 80% desde o dia 24 de abril.

Os dados são fonte de balanço disponibilizado diariamente pelo IntegraSUS, plataforma da Secretária da Saúde do Ceará (Sesa). Entram no cálculo todas as unidades de saúde do Estado, tanto da esfera pública como privada. Em Fortaleza, por exemplo, 19 hospitais e 10 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) são acompanhados.

Gráfico mostra a evolução do número de leitos ocupados no Estado a cada dia, desde o início da pandemia.
Gráfico mostra a evolução do número de leitos ocupados no Estado a cada dia, desde o início da pandemia. (Foto: Reprodução/IntegraSUS)

Dos hospitais da Capital, seis estão com leitos de UTI 100% ocupados, entre eles o Hospital São José (HSJ) e o Hospital Geral Dr. César Calls. No dia 15 de março, eram 13 hospitais com UTIs lotadas. Considerado referência para o tratamento de Covid-19 no Estado, o Hospital Leonardo da Vinci tem 165 dos 175 leitos de UTI ocupados — número equivalente a 94%. Em relação às enfermarias, a taxa é de 84,6% — 94 de 111 leitos estão com pacientes.

O número de ocupação de leitos é um dos principais indicadores para medir a pressão assistencial no Estado e embasar decisões tomadas pelo poder público, seja para flexibilização ou restrição das atividades econômicas. A Sesa usa o índice como um dos critérios para definir o risco de alerta dos municípios — aqueles que apresentam taxa superior a 95% estão com risco considerado como “altíssimo”.

 

Atualmente, o Ceará tem 181 dos 184 municípios com risco altíssimo de alerta para a Covid-19. Os outros três enfrentam risco alto. São eles: Deputado Irapuan Pinheiro, Salitre e Quixelô — todas cidades com população inferior a 20 mil habitantes. A definição do risco é definida junto a outros fatores, como a incidência de casos de Covid-19 por dia a cada 100 mil habitantes.

Total de 17.844 mortes foram registradas no Ceará em decorrência da pandemia do novo coronavírus, segundo dados do IntegraSUS consolidados às 13h36min desta segunda-feira. Mais de 688 mil casos da doença foram confirmados até agora e 107,4 mil seguem sendo investigados. Nas últimas 24 horas, um óbito foi confirmado.