PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Covid em Fortaleza: médias de casos e mortes caem 72% e 64% em 14 dias

A média móvel de casos passou de 950 para 262,9, enquanto a dos óbitos saiu de 45,6 para 16,3. De acordo com boletim da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a curva dos casos acumulados tende a se manter estável

23:06 | 30/04/2021
Os dados são de boletim epidemiológico referente à 17ª Semana Epidemiológica de 2021 (23 a 29 de abril) (Foto: FÁBIO LIMA)
Os dados são de boletim epidemiológico referente à 17ª Semana Epidemiológica de 2021 (23 a 29 de abril) (Foto: FÁBIO LIMA)

Em 14 dias, a média móvel de casos e óbitos por Covid-19 em Fortaleza diminuiu 72% e 64%, respectivamente. Os dados são de boletim epidemiológico referente à 17ª Semana Epidemiológica de 2021 (23 a 29 de abril) e publicado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) nesta sexta-feira, 30. A média móvel de casos passou de 950 para 262,9, enquanto a dos óbitos saiu de 45,6 para 16,3.

Ao todo, Fortaleza acumulou 201.972 casos da patologia confirmados por critério laboratorial até o dia 27 de abril. Este número não inclui diagnósticos positivados por teste rápido cuja data de coleta de amostra e de início dos sintomas foi a mesma ou menor que sete dias. De acordo com o boletim, a curva dos casos acumulados tende a se manter estável.

Falando em óbitos, já são 7.772 vítimas do coronavírus na Capital. O número diário de mortes desacelerou em abril, formando um possível padrão mais lento de aumento. A SMS associa isso, em parte, às medidas de isolamento social rígido estabelecidas na região recentemente, embora o impacto mais concreto do lockdown só seja percebido mais tarde.

Desde o começo da pandemia no Município, 74% dos casos e 25% das mortes foram confirmados na população de 20-59 anos; 19% dos casos e 75% das mortes foram confirmadas no grupo com 60 anos e mais; e a maioria dos pacientes que morreu era do sexo masculino (55%). 5.819 casos e 20 óbitos foram confirmados entre crianças de 0 a 9 anos.

Apenas entre novembro de 2020 e abril deste ano, 3.658 óbitos foram confirmados na Capital. Geograficamente, este número predominou em aglomerados de alta intensidade em bairros das regionais II e IV, com foco no Meireles e na Aldeota e expansão no Dionísio Torres, no Joaquim Távora, no José Bonifácio, no Fátima, no Benfica e na Parquelândia.

Bairros das regionais III e V também formaram clusters de mortes, enquanto a regional VI não teve concentração relevante de vítimas. A circulação do vírus está distribuída da seguinte forma:

Regional I
Casos: 17.066
Óbitos: 1.164

Regional II
Casos: 34.635
Óbitos: 1.370

Regional III
Casos: 19.051
Óbitos: 1.136

Regional IV
Casos: 20.945
Óbitos: 1.038

Regional V
Casos: 29.146
Óbitos: 1.701

Regional VI
Casos: 33.249
Óbitos: 1.358

Sem regional especificada
Casos: 47.880
Óbitos: cinco