PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Pai e filho suspeitos de tortura são presos pela PCCE em Aurora

No crime em questão, uma vítima foi agredida e teve um dente removido, conforme exames realizados pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). As novas prisões ajudarão a concluir o inquérito policial. Um veículo também foi apreendido

21:02 | 07/04/2021
Um veículo foi apreendido e outros dois mandados de prisão foram cumpridos (Foto: Divulgação/SSPDS)
Um veículo foi apreendido e outros dois mandados de prisão foram cumpridos (Foto: Divulgação/SSPDS)

Pai e filho suspeitos de tortura foram presos no município de Aurora, no sul do Ceará, na manhã desta quarta-feira, 7, durante a “Operação Cruciatus” da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Um veículo foi apreendido e outros dois mandados de prisão foram cumpridos. O nome da operação significa “tortura” em latim.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o primeiro preso — Francisco Tavares de Oliveira Neto, de 25 anos, conhecido como “Chico Neto” — atuava na Secretaria de Obras de Aurora e já havia sido preso em 2006 por participar em arrombamento a uma agência bancária em Ipaumirim. Nesta quarta, ele foi abordado em sua residência, onde também foi apreendido um automóvel.

O pai de Chico Neto, José Ribamar Gonçalves de Oliveira, de 52 anos, foi o segundo preso pela operação. Ele estava em uma unidade prisional da região após ter sido preso por receptação. Os mandados de prisão preventiva contra os dois homens foram expedidos em 31 de março último depois de investigação de crime de tortura ocorrido em 10 de outubro de 2020.

No crime em questão, duas vítimas foram agredidas e uma teve dente removido, conforme exames realizados pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) e oitivas de vítimas e testemunhas. Os dois torturados eram funcionários de estabelecimento comercial gerenciado por Chico Neto e seu pai. Eles teriam subtraído uma quantia em dinheiro e isso motivou os suspeitos a agir em tortura em busca de uma confissão.

As vítimas desapareceram logo após o registro de boletim de ocorrência, o que resultou na demora do cumprimento dos mandados de prisão. As novas prisões ajudarão a concluir o inquérito policial. A PCCE investiga a participação de outros suspeitos.

Outras ocorrências

Ainda durante a operação, outros dois mandados de prisão foram cumpridos. Cícero Luan Hermenegildo da Silva, o “Muriçoca”, de 18 anos, foi preso nesta quarta-feira suspeito de participar de roubo no município de Barro.

Já Valdemiro Pereira da Silva Filho, também de 18 anos, conhecido popularmente como “Valzinho”, foi preso após participar de roubo na zona rural de Aurora. Ele possui passagens por porte de arma de fogo e corrupção de menores.