PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Menor número de casos entre profissionais de saúde pode estar associado à vacinação

O cientista-chefe da Saúde do Ceará destacou que a eficácia da vacinação impactou na imunização dos profissionais em questão. Como resultado, o número de trabalhadores infectados diminuiu

20:16 | 06/04/2021
Ordem de vacinação foi definida pelo Ministério da Saúde para proteção das pessoas mais vulneráveis à pandemia. (Foto: Aurelio Alves)
Ordem de vacinação foi definida pelo Ministério da Saúde para proteção das pessoas mais vulneráveis à pandemia. (Foto: Aurelio Alves)

No Ceará, a vacinação de profissionais de saúde contra a Covid-19 pode ter impedido que eles fossem afetados pela segunda onda de transmissão da doença. É o que aponta um levantamento feito pela Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE) e divulgado na segunda-feira, 5. A análise foi feita por meio das informações da plataforma Integra SUS, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

Segundo Camila Colares, cientista de dados da ESP/CE, houve um aumento de casos confirmados entre trabalhadores da saúde e a sociedade em geral durante o período referente à primeira onda de Covid-19 no Estado (abril a junho de 2020). Porém, estes dois perfis apresentaram números diferentes de janeiro a março de 2021. “Enquanto a curva da população geral indica a ocorrência da segunda onda de Covid-19, a dos profissionais de saúde permanece estável”, diz.

O cientista-chefe da Saúde do Ceará, José Xavier Neto, destacou que a eficácia da vacinação impactou na imunização dos profissionais em questão. Como resultado, o número de trabalhadores infectados diminuiu. “Isso significa que a vacina funciona e, quanto mais pessoas forem vacinadas, mais indivíduos protegidos teremos”, argumenta ele.

Keny Colares, consultor em infectologia da ESP/CE, tem uma noção parecida: “O gráfico mostra uma mudança na curva bem interessante e é um dado ilustrativo dos primeiros benefícios da vacinação, já que essa população dos profissionais de saúde tem tido acesso à vacinação mais rapidamente”. De acordo com a Sesa, 1.220.878 doses da vacina foram aplicadas até hoje. Ainda, Fortaleza encerrou o estoque de vacinas disponíveis para aplicação da primeira dose (D1).