PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Lote de remédios do "kit intubação" chega a Fortaleza nesta terça

A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) tem se mobilizado para agilizar a aquisição dos medicamentos, fundamentais para o combate à pandemia. Farmacêuticas argumentam a dificuldade de lidar com novas demandas

Leonardo Maia
23:45 | 29/03/2021
A Azul também transporta vacinas contra a covid-19. (Foto: Tony Winston/Ministério da Saúde)
A Azul também transporta vacinas contra a covid-19. (Foto: Tony Winston/Ministério da Saúde)

Remédios do “kit intubação”, essenciais para o combate à pandemia, chegarão a Fortaleza no início da tarde desta terça-feira, 30, com horário previsto para as 13h25min. Oito estados do Nordeste receberão quase 2,5 toneladas dos medicamentos entre hoje e amanhã. A informação foi divulgada em nota pela companhia aérea Azul, que fará o transporte dos insumos. A quantidade destinada para cada federação não foi especificada.

No total, a empresa transportará em sua malha aérea três toneladas de kits para 20 estados para auxiliar no tratamento de pacientes infectados com o vírus. A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) também tem se mobilizado com o setor farmacêutico para agilizar o envio dos medicamentos.

Em reunião nesta segunda-feira, a pasta entrou em contato com os representantes para ajustar as requisições administrativas referentes ao empréstimo emergencial de remédios a hospitais privados do Estado, principalmente bloqueadores neuromusculares que auxiliam no tratamento de pacientes internados com covid-19.

Leia mais | Kit intubação: o que é e como está a situação de escassez de medicamentos?

Subprocurador vê 'negligência' de Pazuello em compra cancelada de kit intubação

Hospitais particulares não conseguem comprar medicamentos de intubação, afirma Associação

Um das participantes do encontro virtual, Alessandro Camargo, gerente de licitações da indústria farmacêutica Cristália, ponderou sobre a dificuldade de assumir novas aquisições. “Estamos fazendo o possível para atender nossos compromissos, mas é muito difícil novas demandas para entrega imediata”, justificou o gerente, conforme reportou a Sesa.

A tentativa de coordenar a compra de medicamentos para o tratamento da covid-19 pela Sesa vem desde o dia 22 deste mês, quando o Executivo estadual passou a articular uma forma de centralizar a compra e agilizar a aquisição imediata pelos municípios cearenses.