PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Em vídeo, médica faz apelo sobre Covid: "Gripezinha já levou o amor de muita gente embora"

Geórgia Oliveira, do Hospital Regional do Cariri (HRC), atua desde o início da pandemia na linha de frente, dentro da UTI Covid

Mirla Nobre
18:20 | 05/03/2021
Geórgia pede para que as pessoas tenham empatia e que fiquem em casa (Foto: Reprodução/Instagram)
Geórgia pede para que as pessoas tenham empatia e que fiquem em casa (Foto: Reprodução/Instagram)

O aumento de casos da Covid-19 no Ceará e a alta na ocupação de leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e Enfermaria, ambas para o tratamento da doença, representam um cenário crítico no Estado. A médica intensivista Geórgia de Oliveira do Hospital Regional do Cariri (HRC), em Juazeiro do Norte, a 489 quilômetros de Fortaleza, fez um apelo para a população nesse momento crítico da doença em um vídeo divulgado nas redes sociais, nesta sexta-feira, 5.

A médica atua desde o início da pandemia na linha de frente, dentro da UTI Covid, no HRC. “Que a sociedade possa entender que essa gripezinha já levou o amor de muita gente embora. E que a dor que eles sofreram a gente também sofreu. Dói muito o coração da gente, quando a gente vê o pai, a mãe e o avô, não poder ter um enterro digno, não poder ter um final digno que eles precisam”, relata.

No vídeo, a profissional da saúde destaca o aumento de casos em jovens, na faixa etária de 25 a 45 anos. “Cada vez mais nós temos visto jovens na faixa etária de 25 a 45 anos nas nossas UTIs, o padrão mudou totalmente. A doença sofreu mutação. Ela não estabilizou como todo mundo achava que ia estabilizar e está afetando pessoas mais jovens, que estamos recebendo cada vez mais graves. Pode parecer uma gripezinha nos primeiros dias, mas depois ela se transforma no furacão, que a gente chama de furacão Covid”, informa.

Leia Também | Mutação mais transmissível está presente em 71,1% de casos analisados do Ceará, aponta Fiocruz

Ao final do relato, Geórgia pede para que as pessoas tenham empatia e que fiquem em casa. “Nós não estamos pedindo para que o mundo pare, a gente só queria que o mundo entendesse que a gente pode ter empatia, ver a dor do outro. Vamos ficar em casa. Não vamos nos transformar em estatísticas, não ser mais um número, vamos aumentar os números de carinho, de amor, de afeto com os seus familiares em casa”, comenta.

Em Juazeiro do Norte, a taxa de ocupação de leitos UTI Covid está em 97,22% e Enfermaria em 82,35%, de acordo com os dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), consolidados nesta sexta-feira, 5.

Leia Também | Internauta emociona com última mensagem da mãe, morta aos 42 anos pela Covid-19