PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Restrições sociais reduzem 77% da circulação da Covid-19, diz Oxford

O estudo concluiu que algumas medidas são mais efetivas que outras. Limitar o número de pessoas reunidas para 10 pessoas é mais eficiente que fechar restaurantes e outros estabelecimento de alimentação fora do lar, por exemplo

Leonardo Maia
22:00 | 25/02/2021
Polícia tem atuado para dispersar aglomerações em praias e espaços públicos, especialmente após fechamento determinado em decreto estadual. (Foto: Fábio Lima/O POVO)
Polícia tem atuado para dispersar aglomerações em praias e espaços públicos, especialmente após fechamento determinado em decreto estadual. (Foto: Fábio Lima/O POVO)

Restrições sociais reduziram em até 77% o nível de transmissão da Covid-19, de acordo com estudo da revista Science conduzido em 41 países. A pesquisa analisou medidas tomadas pelo poder público que podem ser mais ou menos efetivas para frear a circulação do vírus. Não foram considerados dados do Brasil.

O estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de Oxford, concluiu que o fechamento de escolas e universidades é considerado uma das medidas efetivas contra a circulação do vírus. O mesmo também acontece para a limitação de reuniões de até 10 pessoas ou menos, em que a circulação foi reduzida em até 60%.

>> Pesquisadores que conduziram a pesquisa disponibilizaram calculadora para medir a efetividade de medidas para reduzir a circulação do vírus; confira

O fechamento de restaurantes e outros estabelecimentos de alimentação fora do lar, como bares e boates, tem impacto na redução apenas de baixo para moderado, de acordo com o estudo — a média foi de 18% de redução da circulação. Quando isso se soma a não permissão do funcionamento de outros estabelecimentos não essenciais há efeito um pouco mais efetivo, de 27%.

Gráfico mostra o número de medidas não farmacêuticas — como o fechamento de escolas e limitação de reunião de pessoas — e o impacto para a redução da circulação do vírus.
Gráfico mostra o número de medidas não farmacêuticas — como o fechamento de escolas e limitação de reunião de pessoas — e o impacto para a redução da circulação do vírus. (Foto: Reprodução/Science)

A pesquisa concluiu que tomando medidas econômicas e restritivas ao comportamento social, alguns países conseguiram controlar a pandemia sem precisar fazer medidas chamadas de “lockdown” ou toque de recolher. Nesses casos, as pessoas são proibidas de deixar suas residências para atividades que não sejam essenciais.

Para a análise, foram excluídos países com grandes proporções territoriais, como os Estados Unidos e a China, devido à dificuldade de acompanhar a evolução total de casos e as medidas tomadas em cada momento da pandemia. Também não foram analisados países com menos de 100 casos ou 10 mortes. Dos 44 territórios, 33 são europeus. Os dados do Brasil não foram analisados, de acordo com o UOL.