PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Lotação em shows, festas e eventos sociais no Ceará é reduzida para 100 pessoas

Informação consta em decreto do Governo do Estado do último domingo,18. Medida foi tomada como forma de diminuir os efeitos da propagação do novo coronavírus

Matheus Facundo
17:47 | 21/10/2020
Anteriormente, lotação máxima foi definida até 200 pessoas (Foto: JÚLIO CAESAR)
Anteriormente, lotação máxima foi definida até 200 pessoas (Foto: JÚLIO CAESAR)

O Governo do Estado reduziu a lotação máxima em eventos sociais, festas e shows no Ceará para 100 pessoas, segundo consta no mais recente decreto relativo ao enfrentamento da pandemia, divulgado no último domingo, 18. Anteriormente, conforme documento do dia 3 de outubro, a permissão era até 200 pessoas em ambientes abertos e 100 em locais fechados.

As novas determinações são válidas para os municípios da macrorregião de Saúde de Fortaleza, Norte, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe. Atividades do tipo seguem vedadas na Região do Cariri. Medida foi tomada como forma de diminuir os efeitos da propagação do novo coronavírus no Ceará, visto que áreas de saúde apresentaram aumento.

Nesse último fim de semana, o governador Camilo Santana anunciou que medidas mais restritivas deveriam ser adotadas em municípios cearenses onde a taxa aumentou. O decreto de domingo, 18, recomendou que Juazeiro do Norte, Tauá, Crateús, Icó e Russas tivesse mais restrições em função do aumento do número de casos de novo coronavírus.

 

"Em função dos dados epidemiológicos verificados pelas autoridades da saúde, deixa-se recomendação aos municípios de Crateús, Icó, Russas, Juazeiro do Norte e Tauá para que reforcem a fiscalização e adotem medidas de isolamento social mais restritivas para conter a disseminação da Covid-19, especialmente quanto à redução de aglomerações", diz o texto.

LEIA TAMBÉM | Condomínios podem criar protocolos próprios de prevenção à Covid-19

Os municípios não podem adotar medidas de isolamento menos restritivas que as definidas pelo Estado. Mas, acatar ou não a recomendação de mais restrições é decisão de cada prefeito.

 

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >