PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Ministério da Saúde recua e passa a divulgar boletim do coronavírus às 18 horas

Informação, porém, segue com redução drástica de dados epidemiológicos importante para a contenção da Covid-19

21:35 | 08/06/2020
Elcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde, anunciou novas mudanças na divulgação de boletim diário sobre o coronavírus no Brasil (Foto: Anderson Riedel/PR)
Elcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde, anunciou novas mudanças na divulgação de boletim diário sobre o coronavírus no Brasil (Foto: Anderson Riedel/PR)
Após forte reação negativa sobre atrasos e omissões na divulgação de dados da covid-19, o Ministério da Saúde recuou e irá informar dados sobre infectados e mortos às 18 horas, diariamente, disse nesta segunda-feira, 8, o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco.
A decisão ocorre após, na última semana, o Ministério da Saúde retardar, por quatro dias, para cerca de 22 horas, a apresentação de balanços diários da pandemia, que costumavam sair por volta das 19 horas.
O atraso nos dados chegou a ser comemorado pelo presidente Jair Bolsonaro. "Olha, não interessa de quem partiu (a ordem para o atraso). Acho que é justo sair dez da noite. Sair o dado completamente consolidado", afirmou na última sexta-feira, 5, em frente ao Palácio da Alvorada.
Bolsonaro também disse que "acabou a matéria no Jornal Nacional" sobre a doença, referindo-se ao telejornal da TV Globo, e cobrou que sejam divulgados apenas os números de pessoas que morreram naquele dia. Isso porque os dados apresentados pelo Ministério da Saúde incluem os óbitos que ocorreram em datas anteriores, mas só tiveram a confirmação de que a causa foi a Covid-19 nas últimas 24 horas.
Como o Estadão revelou, a mudança na forma de divulgação dos dados ocorreu após Bolsonaro determinar que o número de registros ficasse abaixo de mil por dia — à revelia dos fatos. A solução encontrada seria divulgar apenas dados de mortes que ocorreram, de fato, durante o dia. A questão é que a testagem e consolidação dos números demora até 15 dias, o que faz com que a cifra de óbitos por dia seja naturalmente bastante defasada. 
No informe de sexta-feira passada, o ministério ainda omitiu o número total de mortos no País desde fevereiro, quando foram registrados os primeiros casos da doença. O painel da Covid-19 no site da Saúde ainda ficou fora do ar até sábado. Segundo Elcio Franco, havia "necessidade de reformulação" da página.
Partidos da oposição e a Defensoria Pública da União (DPU) chegaram a ir à Justiça para reverter o atraso e a omissão de dados sobre o novo coronavírus no País. O Ministério Público Federal abriu procedimento extrajudicial para apurar o caso.