PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Secretaria da Saúde do Ceará retira recomendação de uso da cloroquina após estudos científicos

A pasta considerou estudos sobre efeitos colaterais do medicamento e garantiu que não proibiria a utilização das drogas, mas orientou que a decisão fosse "avaliada criteriosamente"

Gabriela Almeida
15:17 | 26/05/2020
A retratação do estudo, assim como a íntegra da publicação original, ainda se encontram disponíveis no site da The Lancet. (Foto: Yuri Cortez / AFP)
A retratação do estudo, assim como a íntegra da publicação original, ainda se encontram disponíveis no site da The Lancet. (Foto: Yuri Cortez / AFP)

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) lançou nota técnica retirando recomendação feita anteriormente ao afirmar que não recomenda o uso de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com o novo coronavírus, a Covid-19. A pasta considerou estudos sobre efeitos colaterais dos medicamentos e garantiu que não proibiria a utilização das drogas, mas orientou que a decisão fosse “avaliada criteriosamente”.

Segundo nota, datada dessa segunda-feira, 25, a posição foi tomada após análises de estudos científicos que comprovam efeitos colaterais dos medicamentos nos pacientes, como a pesquisa realizada pela científica The Lancet, citada no documento. Além disso, a pasta alegou que não existe, até o momento, “estudos robustos efetivos que demonstrem a eficácia” das medicações.

“A prescrição do uso, se ocorrer, deverá ser feita em casos individualizados e por decisão do médico com o paciente e com familiares, quando for o caso, com a devida explicação sobre efeitos colaterais, esclarecimento da ausência de evidências seguras e obrigatoriamente com obtenção de termo de ciência informado e registro em prontuário”, pontua o órgão em documento.

Em nota técnica publicada anteriormente, a Sesa havia informado que medicamento antimaláricos, como Hidroxicloroquina e a Cloroquina, poderiam ter benefícios no tratamento de pacientes infectados pelo vírus. Em nova publicação, a secretaria se baseia em estudos científicos para reconhecer que uso de medicações podem trazer mais malefícios do que resultados benéficos.