PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Secretaria aponta "discreta desaceleração" de casos e óbitos por Covid-19 em Fortaleza

A "discreta desaceleração" é percebida a partir do dia 10 de maio e pode ser refletida no incremento diário de casos investigados "que tende à estabilidade"

Matheus Facundo
20:43 | 22/05/2020
FORTALEZA-CE, BRASIL, 05-05-2020: Socorristas retiram da ambulância paciente transferida de UPA para o Hospital Leonardo da Vinci enquanto atrás deles funcionários da funerária retiram corpo de vítima de COVID-19. Movimentação em frente ao hospital Leonardo da VInci. ( Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JÚLIO CAESAR)
FORTALEZA-CE, BRASIL, 05-05-2020: Socorristas retiram da ambulância paciente transferida de UPA para o Hospital Leonardo da Vinci enquanto atrás deles funcionários da funerária retiram corpo de vítima de COVID-19. Movimentação em frente ao hospital Leonardo da VInci. ( Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JÚLIO CAESAR)

Atualizada às 22h43min

Confirmando indicações do prefeito Roberto Cláudio (PDT) e do governador Camilo Santana (PT) ao longo desta semana, novo boletim epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) aponta "discreta desaceleração" do crescimento de casos de coronavírus em Fortaleza. O informe, divulgado na noite desta sexta-feira, 22, afirma ainda que o número de óbitos apresenta tendência de estabilidade, "embora ainda em um nível elevado".

"O Informe Epidemiológico Semanal Covid-19 da SMS-Fortaleza (Semana Epidemiológica 21) demonstra preliminarmente que a tendência de aumento exponencial diário de casos e mortes por Covid-19 em Fortaleza, identificada na transição de abril para maio, parece ter sido interrompida. A curva epidêmica de casos confirmados (acumulados) apresenta um crescimento linear, com discreta desaceleração percebida, principalmente, a partir do dia 10 maio", indica a pasta.

O boletim traz mesmo gráfico de curvas de casos confirmados e em investigação na Capital, o epicentro da doença no Ceará, apresentado por Camilo Santana em live de anúncio da prorrogação do isolamento social no Estado e lockdown em Fortaleza. Fortaleza permanece em bloqueio total até o dia 31 de maio.

A "discreta desaceleração" é percebida a partir do dia 10 de maio e pode ser refletida no incremento diário de casos investigados "que tende à estabilidade". A SMS ressalta que as tendências serão monitoradas diariamente. Fortaleza conta com 19.270 confirmações e 1.548 óbitos pela Covid-19. No Ceará, já são 34.573 casos e 2.251 mortes. Foram mais de 3 mil casos contabilizados nas últimas 24 horas, de acordo com a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Barra do Ceará segue concentrando maioria de mortes

A Regional I, em Fortaleza, continua sendo a região onde a maioria dos óbitos está concentrada na Capital. A Barra do Ceará segue sendo o bairro com mais mortes, com 71 vítimas da Covid-19. No último boletim da SMS, divulgado no dia 13 de maio, eram 45 mortes. Vila Velha e Cristo Redentor tem 43 óbitos cada. Ao todo, a regional tem 352 mortes.

Até esta sexta-feira, 22, 119 bairros de Fortaleza apresentavam mortes. De acordo com a SMS, bairros que fazem divisa com Caucaia, na Regional III, atualmente são áreas de concentração de óbitos. Já em relação aos casos confirmados, a Regional II, em bairros como Meireles e Aldeota, região do epicentro inicial de casos de coronavírus, voltou a apresentar grande quantidade de notificações, "reflexo ainda do início da pandemia".

Jangurussu, Messejana, Barra do Ceará e conglomerados populacionais dos bairros Cocó, Papicu, Vicente Pinzon, Quintino Cunha, Autran Nunes, Mondubim e José Walter estão situados em "faixa intermediária" de casos confirmados.

Região mais populosa de Fortaleza, a Regional VI se mantém "relativamente com baixa morbidade", segundo o informe epidemiológico, embora a transmissão tenha aumentado "significativamente" em Messejana e Jangurussu.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >