Participamos do

Secretaria de Educação do Ceará teme que Enem 2020 não seja adiado

"Nossos alunos vão ficar prejudicados. Nem todos têm acesso à Internet", disse Eliana Estrela. A secretária deu entrevista à rádio O POVO/CBN na manhã desta quinta, 14, onde argumentou a favor de adiamento
12:49 | Mai. 14, 2020
Autor Gabriela Feitosa
Foto do autor
Gabriela Feitosa Estagiária do O POVO Online
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Secretaria de Educação do Ceará (Seduc) apoia recomendação de adiamento do Enem 2020 que, mesmo em meio às críticas, teve inscrições abertas na última segunda, 11. Quem defende o ponto é a secretária da pasta, Eliana Estrela, que deu entrevista à rádio O POVO/CBN na manhã desta quinta, 14. "Nós acreditamos que nossos alunos vão ficar prejudicados. Tem a questão da desigualdade. Ela vai ficar mais presente para nós, porque como eles estão fazendo esses estudos domiciliares, nós sabemos que nem todos têm acesso à Internet", explica Eliana.

A recomendação de adiamento foi feita pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) ao Ministério da Educação (MEC). Segundo Eliana, o estado tem como prioridade a educação da juventude e seu ingresso na universidade. Conforme a secretária, cerca de 20 mil alunos de escolas públicas iniciaram no Ensino Superior em 2019. "O aluno hoje percebe que tem potencial, acredita em si, investe. Nós temos um time da educação, professores que estimulam esse processo. Nos sentimos prejudicados. Fomos um dos primeiros estados a pedir para adiar Enem", acrescenta. A Seduc teme, no entanto, que o cronograma do exame seja seguido normalmente.

Leia também | Pedido de adiamento do Enem por entidades estudantis é negado por ministro do STJ

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Eliane ainda contou em entrevista que projetos remotos estão sendo pensados para atender, ao máximo, as necessidades didáticas dos estudantes. Hoje, pelo menos 65% dos alunos de escolas públicas do Ceará têm conectividade e estão participando de alguma atividade junto às escolas nessa quarentena. O dado é da secretária Eliana Estrela.

Ela também informou que a Seduc se reuniu com Ministério Público, Conselho Estadual da Educação e representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Lotados nas Secretarias de Educação e de Cultura do Estado do Ceará (Apeoc), "para tentar minimizar esse momento e não ter antecipação de férias. "Então, começamos com as aulas remotas. Elas têm se dado por plataformas, como Google, Aluno Online (plataforma da Seduc). Mas, como nem todos têm acesso, nós temos nosso livro didático, atividades extras", relata.

Sobre o retorno às aulas, Eliana disse que ele está sendo planejado a fim de não prejudicar aqueles que não puderam participar das atividades. "Nenhum aluno vai se prejudicar por esse período, apesar de que ele está sendo contado como letivo, tanto para professor como aluno. Aqueles que não têm acesso, no retorno vamos ver como organizar a vida desse aluno", finaliza.

Leia também | Videoaulas, atividades impressas e aula na TV; confira as estratégias do Ceará para manter educação a distância

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar