PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Videoaulas, atividades impressas e aula na TV; confira as estratégias do Ceará para manter educação a distância

14:56 | 11/05/2020
EEFM doutor César Cals, no bairro Farias Brito
EEFM doutor César Cals, no bairro Farias Brito (Foto: Thaís Mesquita)

Atualizada às 16h40min

Desde o primeiro decreto estadual, em 19 de março, as aulas estão suspensas. Desde então, as escolas têm tentado se adaptar à nova rotina de continuar com a educação à distância. Segundo a Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc), o período não configura antecipação das férias escolares e, em articulação com o Conselho de Educação do Ceará, e observando as normas do Conselho Nacional de Educação (CNE), elaborou diretrizes específicas para esse momento. Cada unidade de ensino construiu um Plano de Atividades Domiciliares que possa cumprir a carga horária escolar nas residências.

Segundo a Seduc, as aulas remotas são como dias letivos e estão acontecendo para alunos de toda a rede, incluindo os alunos da 3ª ano do ensino médio, que devem prestar Enem no fim do ano. Mesmo assim, a secretaria aponta que o livro didático é a principal ferramenta. Para quem não tem acesso à internet, os professores estão elaborando atividades impressas. Além disso, a TV Ceará (TVC) tem transmitido aulas das diversas disciplinas, de segunda a sexta-feira, às 14h.

Alunos e educadores têm sido incentivados para usar de aparatos tecnológicos a fim de facilitar o contato. Entre as plataformas disponíveis estão o Aluno Online, Professor Online e o Google Sala de Aula (Google Classroom). Os alunos do terceiro ano podem ter acesso ao Enem na rede, plataforma digital com conteúdo de videoaulas e material estruturado, explorando temas curriculares que se alinham aos eixos cognitivos e às competências e às habilidades propostas na Matriz de Referência do Enem -#Enemnarede.

A Seduc esclarece também que, por meio de chamada pública, tem parceria com 12 plataformas de ensino, as quais oferecem, gratuitamente, apoio na organização das atividades de educadores e estudantes, como o Khan Academy e o Stoodi. Mais informações de como utilizar e ter acesso pode ser conferida no Guia de Apoio aos Estudos Domiciliares, disponibilizado em abril, com o objetivo de compartilhar com toda a rede de ensino práticas pedagógicas. Basta clicar aqui.

Em nota, a Seduc informa ainda que apoia a ação com a recomendação do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) ao Ministério da Educação (MEC) sobre adiamento do cronograma das provas do Enem. Segundo a pasta, "para essa fase de inscrições, as escolas, remotamente, irão auxiliar estudantes que não têm acesso à internet".

Por meio das Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Credes), no Interior, e Superintendências das Escolas Estaduais de Fortaleza (Sefor), em Fortaleza, a Seduc afirma "que utilizará diversas estratégias para assegurar as inscrições dos estudantes que não contam com Internet. Há grupos específicos de profissionais, como os interlocutores do Enem, professores dos laboratórios ou Professores Diretores de Turma, que fazem essa conexão com os estudantes. Além disso, também são utilizados contatos telefônicos".

Confira a lista completa das plataformas que tem parceira com o governo estadual e pode ser utilizado por professores e alunos:

1. Impulsiona 
2. Khan Academy 
3. Lecionas 
4. Ecomuseu
5. Letrus 
6. Webinar
7. Stoodi
8. Curta na Escola 
9. Eureka Digital
10. Árvore de Livros
11. FB Online
12. LANLINK