PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

"É inadmissível a postura de omissão de qualquer governo", diz Roberto Cláudio sobre combate ao coronavírus

O prefeito Roberto Cláudio defendeu a eficácia do "lockdown" em entrevista à Jovem Pan, que viralizou nas redes sociais

18:41 | 10/05/2020
Tasso, Camilo, Ciro, Bolsonaro, Lula, Roberto Cláudio e Cid: apoios a buscar ou evitar por quem estará disputando as eleições de 2020 em Fortaleza (Foto: JÚLIO CAESAR)
Tasso, Camilo, Ciro, Bolsonaro, Lula, Roberto Cláudio e Cid: apoios a buscar ou evitar por quem estará disputando as eleições de 2020 em Fortaleza (Foto: JÚLIO CAESAR)

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) esteve presente em entrevista na Jovem Pan nesse sábado, 9, para falar sobre o primeiro dia de lockdown em Fortaleza. O político, que conversou com o comentarista Paulo Mathias, defendeu as medidas que estão sendo tomadas pelo Ceará.

Segundo ele, o debate sobre a eficácia do isolamento não deveria ser o foco. “Acho que o Brasil está perdendo um enorme tempo com debates dessa natureza. Deveríamos estar sendo mais orientados por informações científicas do que por ideologias”, diz.

Leia também | Estudo aponta eficácia em medidas de isolamento do governo Camilo

No programa, Paulo Mathias, que questiona a efetividade dessas ações, argumentou que a contaminação continua acontecendo. “A gente não está livre do risco. E por que não? Porque a gente recebe compras com as mãos, a gente precisa higienizar. Mesmo com o lockdown, as pessoas têm permissão de ir ao supermercado ou à farmácia. Nesse trajeto elas também podem ser contaminadas, é óbvio”, identifica o prefeito.

“Você talvez não conheça o interior do Nordeste brasileiro ou a periferia das grandes cidades do Nordeste, ou mesmo as zonas mais isoladas do Norte do país, é essa a população que está sob o maior risco de vida”, continua. Para Roberto Cláudio, a flexibilização do comércio é defendida, principalmente, por grandes grupos de empresários.

Leia também | Pesquisa traz que fortalezenses acreditam em isolamento social como ato de cuidado com o próximo

“É inadmissível a postura de omissão de qualquer governo”, afirma. Ainda continua ao dizer que as organizações internacionais e os dados científicos estão sendo questionados por causa do interesse de parte da sociedade.

Ao ser perguntado sobre a construção de leitos, RC afirma que o colapso também aconteceu em países ricos. “Olhe a Itália, olhe a Espanha. Em países muito mais ricos que o nossos, as pessoas morreram por falta de leitos. Sabe quem vai morrer, Paulo? Não é o pessoal do Jardins de São Paulo, nem o pessoal da Aldeota aqui de Fortaleza, porque eles têm hospital privado”, diz. Entretanto, identifica que a situação mudou devido à lotação do sistema privado de saúde.

Leia também | Se seguir ritmo atual, pandemia do coronavírus no Brasil irá até depois do Natal, aponta pesquisa

No dia, a conversa entre Roberto Cláudio e Paulo Mathias ainda viralizou nas redes sociais.

 

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >