PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Se seguir ritmo atual, pandemia do coronavírus no Brasil irá até depois do Natal, aponta pesquisa

Brasil registra mais 145 mil infectados e 9,8 mil mortes em decorrência do novo coronavírus. Pesquisadores realizaram essa projeção a partir de dados de pessoas infectadas, suscetíveis e recuperadas da Covid-19

11:33 | 09/05/2020
Brasil poderá conviver com a pandemia do coronavírus até os últimos dias do ano, segundo a pesquisa (Foto: AURO PIMENTEL / AFP)
Brasil poderá conviver com a pandemia do coronavírus até os últimos dias do ano, segundo a pesquisa (Foto: AURO PIMENTEL / AFP)

Com mais de 145 mil infectados e 9,8 mil óbitos provocados pelo novo coronavírus, o Brasil poderá conviver com a pandemia da doença até os últimos dias do ano. De acordo com Universidade de Singapura, caso mantenha o ritmo atual, a pandemia da Covid-19 deve terminar somente após o dia 25 de dezembro, quando é celebrado o Natal.

Pesquisadores realizaram essa projeção a partir de dados de pessoas infectadas, suscetíveis e recuperadas da Covid-19. Analisando os números de diferentes países, verificaram que a doença apresenta padrões.

“A evolução da Covid-19 não é completamente aleatória. Como outras pandemias, segue um padrão de ciclo de vida desde o surto até a fase de aceleração, ponto de inflexão, fase de desaceleração e eventual parada ou término", disse o estudo em 28 de abril. O Brasil estaria na fase de aceleração de contaminação e mortes.

Por outro lado, apesar de usar dados objetivos, os pesquisadores alertam que as previsões devem ser consideradas com cuidado e que, portanto, estão sujeitas a alteração, não devendo resultar no afrouxamento de medidas de contenção.

Fim da pandemia do coronavírus no Mundo

Conforme projeção de pesquisadores da Universidade de Singapura, o pico de contaminação mundial ficou em abril. Diante disso, o fim da pandemia no Mundo deve datar no no Réveillon deste ano, em 31 de dezembro. Caso se comprove, é provável de que a pandemia se alastre ainda durante parte do próximo ano.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >