PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Coronavírus: caminhão vaporizador com hipoclorito de sódio começa a higienizar ruas de Fortaleza

Por meio de uma espécie de "canhão", uma nuvem de solução bactericida é lançada, chegando em um raio de 10 metros

23:12 | 20/04/2020
FORTALEZA-CE, BRASIL, 20-04-2020: Prefeitura iniciou higienização de bairros com caminhão que faz aspersão de solução de hipoclorito nas ruas. Primeiro bairro a ser feita a higienização é o Cristo Redentor. ( Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JULIO CAESAR)
FORTALEZA-CE, BRASIL, 20-04-2020: Prefeitura iniciou higienização de bairros com caminhão que faz aspersão de solução de hipoclorito nas ruas. Primeiro bairro a ser feita a higienização é o Cristo Redentor. ( Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JULIO CAESAR)

O bairro Cristo Redentor foi o primeiro a receber higienização com um caminhão vaporizador como forma de combate à disseminação do novo coronavírus. Por meio de uma espécie de “canhão”, uma nuvem de solução bactericida é lançada nas ruas, chegando em um raio de 10 metros. Os alvos da ação são os bairros de Fortaleza com o maior número de óbitos em decorrência da Covid-19. Vicente Pinzon, que registra sete óbitos, José Walter (8) e Meireles (7) serão os próximos a receber a limpeza. 

"É uma tecnologia muito simples mas muito importante. Vai limpar o vírus que se encontra normalmente no chão, no ar. Solução à base de hipoclorito, que é exatamente a água sanitária que a gente usa na nossa casa", explica Albert Gradvohl, coordenador especial de Limpeza Urbana Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP). Ele detalha que a solução tem ph de até 7,3 e, portanto, não apresenta risco à saúde humana.

"Os moradores devem continuar fazendo o mesmo procedimento. Lavar bem as mãos e as coisas dentro de casa com solução de água sanitária ou o álcool a 70%. Estamos preocupados com o extra-muros. O mesmo procedimento foi feito agora na China e houve uma diminuição. Vamos funcionar com duas equipes continuamente", alerta Gradvohl. A medida, conforme o coordenador, será ampliada para toda a cidade.

As explicações foram feitas durante demonstração do procedimento em frente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Cristo Redentor, na avenida Leste-Oeste, na tarde desta segunda-feira, 20. A tecnologia foi importada da China e se assemelha ao "fumacê", utilizado no combate ao mosquito Aedes aegypti, vetor de arboviroses como a dengue, comparou o prefeito Roberto Cláudio, em transmissão no Facebook nesta segunda, 20.

Números da doença e bairros com situação preocupante

Nesta segunda-feira, 20, o Ceará passou de 200 mortos. O Estado registrou mais 17 mortes pelo novo coronavírus e chegou a 206 óbitos até as 17 horas desta segunda. São 3.487 casos confirmados da doença, conforme a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Fortaleza registra 2.840 diagnósticos laboratoriais e 164 mortes em decorrência da infecção.

Número de óbitos em regiões periféricas tem preocupado autoridades, visto que a quantidade de mortes é elevada em comparação com os casos confirmados laboratorialmente. De acordo com estimativa realizada pela prefeitura de Fortaleza, a Barra do Ceará pode ter 900 casos do novo coronavírus, sendo mais de 800 desses não registrados. Bairros como Barra do Ceará e José Walter apresentam menos casos confirmados do que Meireles ou Aldeota, mas têm um maior de número de mortes em decorrência da doença, exemplificou o prefeito Roberto Cláudio. 

Os bairros Vicente Pinzon, no qual foi iniciada a limpeza com o caminhão vaporizador, Cais do Porto e Jangurussu, com cinco mortes, cada, também preocupam.

Assine a newsletter do O POVO sobre o coronavírus. 

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >