PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

OMS: Não existe transmissão aérea do coronavírus; entenda o que isso significa

O estudo comprovou que não há transmissão aérea do vírus mas sim, transmissão por gotículas; O POVO explica

10:30 | 31/03/2020
Apesar de não existir a transmissão aérea na maioria dos ambientes que frequentamos, é importante manter a distância mínima de 1 metro entre as pessoas (Foto: BÁRBARA MOIRA)
Apesar de não existir a transmissão aérea na maioria dos ambientes que frequentamos, é importante manter a distância mínima de 1 metro entre as pessoas (Foto: BÁRBARA MOIRA)

Diante de uma situação tão nova quanto o coronavírus, diversos estudos estão sendo realizados para entender a pandemia e como podemos lidar com ela. Em novo boletim científico divulgado nesta terça-feira, 31, a Organização Mundial da Saúde (OMS) indicou que o novo coronavírus não é transmitido pelo ar.

A informação foi comprovada após uma análise de 75.465 casos de Covid-19 na China, um dos países mais afetados pela doença. Em todos os pacientes, a transmissão aérea não foi relatada. O POVO explica alguns dos pontos do novo estudo:

ENTÃO, COMO O VÍRUS É TRANSMITIDO?

Continua sendo pelo contato direto com pessoas doentes ou com superfícies infectadas com o vírus como, por exemplo, objetos usados pelo paciente doente. O estudo comprovou que não há transmissão aérea do vírus mas sim, transmissão por gotículas.

MAS QUAL A DIFERENÇA ENTRE TRANSMISSÕES POR GOTÍCULAS E TRANSMISSÕES AÉREAS?

As infecções respiratórias, como o coronavírus, podem ser transmitidas por dois tipos de gotículas respiratórias: gotículas maiores, apelidadas de "gotículas respiratórias", com diâmetro entre 5 e 10 nanômetros; e gotículas menores, apelidadas de "gotículas de núcleos", com menos de 5 nanômetros. As transmissões por gotículas ocorrem quando uma pessoa está em contato próximo com alguém infectado ou que apresenta sintomas como tosse e espirro.

Então, existe o risco de expor áreas como boca e nariz a essas gotículas, o que pode transmitir a doença. É devido a esses fatores que existe a distância mínima de 1 metro da pessoa doente, visto que as gotículas não alcançam mais do que isso.

Já a transmissão aérea é diferente, pois se refere a presença de micróbios em gotículas de núcleos. Por serem menores e mais leves, essas infecções podem ser transmitidas pois permanecem no ar por longos períodos de tempo. 

É importante ressaltar que a doença só se espalha por essas gotículas de contato direto. Se uma pessoa doente tosse em algum local com circulação aberta, o vírus não permanece ali. Isso seria a transmissão aérea, e a doença não é transmitida, até então, por essas situações.

HÁ EXCEÇÕES?

Sim, mas em casos específicos. A OMS pontuou exceções que possibilitam transmissão aérea da doença, sendo os mais afetados os profissionais de saúde. Procedimentos médicos que envolvem proximidade com o paciente doente de Covid-19, como entubação e ressuscitação cardiopulmonar, são alguns que geram aerossóis e que podem, em específico, causar transmissão pelo ar.

Confira outros cuidados:

Vinagre funciona na limpeza? Saiba como limpar corretamente a casa diante do coronavírus

Saiba como cuidar de alimentos e roupas para prevenir contaminação pelo coronavírus

Coronavírus pode ser transmitido pelo ar? Saiba mais sobre outros mitos e verdades da transmissão da doença