PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Bolsonaro sai às ruas e interage com a população contrariando orientação de isolamento social

O presidente cumprimentou e interagiu com populares nas ruas do Distrito Federal

14:06 | 29/03/2020
Bolsonaro contrariou orientações do Ministério da Saúde e da OMS de permanecer em isolamento (Foto: Reprodução/Twitter )
Bolsonaro contrariou orientações do Ministério da Saúde e da OMS de permanecer em isolamento (Foto: Reprodução/Twitter )

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contrariou orientações de isolamento social como medida de prevenção ao coronavírus e saiu às ruas neste domingo, 29 de março de 2020. Ele publicou no Twitter, por volta das 11h30min desta manhã, vídeos cumprimentando e interagindo com a população das regiões de Ceilândia, Sobradinho e Taguatinga, no Distrito Federal. Nas imagens, pessoas se aglomeram ao redor de Bolsonaro.

Leia também | Camilo prorroga isolamento social no Ceará por mais uma semana 

Coronavírus no Ceará: 4.424 exames foram feitos no Estado para diagnosticar a doença

Bolsonaro volta a chamar de "histeria" preocupação com coronavírus e critica fechamento de escolas

Em resposta a Bolsonaro, Camilo diz continuar "trabalhando fortemente" no combate ao coronavírus no Ceará


Durante o passeio, o presidente falou com ambulantes, visitou comércios abertos - como supermercados - e foi ao Hospital das Forças Armadas (HFA). A postura de Bolsonaro é contrária às orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde - que defendem o isolamento como principal medida de combate à disseminação do coronavírus.

Desde o início da crise mundial do coronavírus, Bolsonaro tem feito declarações que buscam minimizar os impactos da pandemia. Em pronunciamento em rede nacional no último dia 24 de março, ele disse que a contenção necessária era ao “pânico” e à “histeria”, e que os meios de comunicação “espalharam a sensação de pavor”. O presidente afirmou, ainda, que o país deve “voltar à normalidade”, e que medidas de distanciamento social devem ser abandonadas, chamado-as de “conceito de terra arrasada”. Ele questionou o fechamento de escolas, do comércio e as limitações de transporte.