PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Secretária da Saúde de Fortaleza afirma que casos da Covid-19 ainda não afetaram camada mais vulnerável da população

Titular da pasta, Joana Maciel destaca importância de isolamento social e das medidas tomadas pela Prefeitura voltadas às camadas de renda mais baixa

João Gabriel Tréz
13:33 | 20/03/2020
 (Foto: MAURI MELO/O POVO)
(Foto: MAURI MELO/O POVO)

Em meio à pandemia do coronavírus, ações da Prefeitura de Fortaleza e do Governo do Estado vêm sendo tomadas para tentar conter os impactos e a transmissão da Covid-19. A secretária da Saúde do Município, Joana Maciel, ressaltou, em entrevista remota ao Debates do POVO, da Rádio O POVO/CBN, as ações que a Prefeitura vem executando para minimizar os impactos da pandemia nas populações mais vulneráveis, que ainda não teriam sido atingidas pela pandemia.  

“Essa crise vai afetar as pessoas de baixa renda. Entre as medidas do Município, a Educação entrou em recesso até o dia 31, mas entendemos que a alimentação das crianças é muito importante, então a Prefeitura vai entregar um kit alimentar para todas as famílias dos alunos. É uma ajuda importante”, citou. “Todos estão em dificuldades, mas os que mais precisam têm que ser o foco da nossa ação. Os casos que a gente teve até hoje não afetaram ainda essa camada da população”, defendeu.

+ Leia mais: 21 postos de saúde funcionarão em Fortaleza neste fim de semana
+ Leias mais: 175 leitos serão inaugurados no IJF para atender casos de Covid-19

A secretária reforçou a importância do isolamento social para aqueles que têm a possibilidade. “O Governo e o Prefeitura já tomaram todas as medidas no que tange aos aspectos legais para esse isolamento. Se você pode ficar em casa, deve ficar. A população precisa se resguardar para que a gente consiga minimizar a transmissão do vírus”, afirmou, ressaltando ainda a importância de evitar contato com pessoas dos grupos de risco. “Se você tiver algum sintoma, não pode ficar em contato com pessoas idosas ou com condições de (comorbidade) em saúde”, exemplificou.

+ Leia mais: Em live, RC afirma que ampliará leitos de UTI e validade de receita de medicamentos

Em paralelo à crise do coronavírus, Joana ainda lembrou de outras doenças que costumam ocorrer na Capital nessa época do ano, como as arboviroses. “É muito importante continuar trabalhando no combate ao vírus da dengue”, sublinhou. Em relação à Campanha de Vacinação contra a gripe, que começa na próxima segunda, 23, a secretária reforçou as ações que a Prefeitura tomará para garantir a vacina às pessoas com mais de 60 anos.

“Precisamos vacinar, mas não podemos aglomerá-las. Todas as pessoas com mais de 80 anos receberão a vacina em casa para não se deslocar aos postos. A forma que temos de chegar a elas é o cadastro, então se você mudou de endereço ou não tem cadastro, um familiar deve procurar o posto mais próximo com comprovante de endereço e identidade do idoso", afirmou. Para o grupo de 60 a 79 anos, a Prefeitura vai descentralizar a vacinação nos 113 postos e mais de 400 escolas municipais que estão em recesso. Serão disponibilizados no site os endereços e  a secretária pede que as escolas sejam priorizadas, por terem mais espaço.

 

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >