Participamos do

TikTok: como João Ferdnan chegou a mais de 6 milhões de seguidores

Estreando nova série do O POVO, o criador de conteúdo João Ferdnan, 22, analisa seu processo produtivo, suas conquistas e suas perspectivas da vida cotidiana. Conheça mais do maranhense que tem 6,6 milhões de seguidores no TikTok
19:56 | Nov. 22, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Quem passa tempo no Instagram ou no TikTok já deve ter visto algum vídeo de João Ferdnan. Entre insights da vida cotidiana e comentários sobre o mundo virtual, o maranhense de 22 anos de idade tem conquistado um público fiel com seu conteúdo. João acumula 6,6 milhões de seguidores no TikTok e 1,3 milhão no Instagram. Perfil de tiktoker é tema de nova série do O POVO, que estreia hoje, 22, e contará com diversos outros influencers de destaque da rede social. 

A trajetória do jovem na Internet começou um pouco antes de vídeos de um minuto com coreografias e piadas serem destaque da produção digital. Ainda em 2014, quando youtuber era a palavra do momento, João criou um canal no YouTube, mas as tentativas de entrar na onda não deram muito certo. Ele logo desistiu do projeto e permaneceu distante da posição de criador até o início de 2019, após conseguir nota suficiente para ingressar em curso no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano anterior.

Ele foi recrutado na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), mas não conseguiu formalizar sua matrícula devido à ausência de documentos obrigatórios. “Fiquei meio para baixo, triste. E fiquei em casa sem fazer nada”, relata ele. Foi do ócio que ressurgiu a vontade de produzir material audiovisual para o mundo digital, “tudo sem pretensão de crescer, só mesmo para ter o que fazer”. O primeiro vídeo, conta, alcançou 700 mil visualizações no Facebook.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine
@joaoferdnan

só o ódio 

 som original - João Ferdnan

João Ferdnan, do TikTok: ascensão, popularidade e produção

Nos meses seguintes, o maranhense continuou a soltar suas ideias em formato de vídeo, recebendo uma audiência morna. Ele teve maior crescimento na pandemia de Covid-19, “quando as pessoas ficaram mais em casa, ficaram mais tempo na Internet. De fevereiro [de 2021] até hoje que foi o crescimento maior”, explana João. Com essa ascensão, ele conta que começou a ser reconhecido por motoristas da Uber, no supermercado, no shopping e até durante idas rotineiras ao dentista.

“No começo foi estranho, mas agora já é de boa. Um dia tu sai na rua e ninguém te conhece, é uma pessoa normal. Como sou tímido, às vezes mais de cinco pessoas me param e eu já fico mais na minha”, diz. E é justamente na convivência com outras pessoas que reside a fonte de seus vídeos. “Eu observo as pessoas ao meu redor. Uma pessoa me conta uma história ou eu olho alguma cena. Alguma briga, discussão de casal. É daí que tiro as ideias. Por isso que gera identificação”, analisa.

Geralmente, o momento de pensar e anotar potenciais ideias é o período da noite, conta o criador de conteúdo. “No outro dia, quando eu vou gravar, é tudo improvisado. Eu tenho a ideia e na hora do vídeo é que eu faço o texto”, explica. E quando não está produzindo, João afirma gostar de ouvir música e consumir vídeos do YouTube ou ficar distante do ambiente virtual. “Eu tento não me apegar muito a esse negócio de Internet. Eu fico bem de boa”, conta ele.

João Ferdnan, do TikTok: 5,3 milhões a menos no Instagram

João Ferdnan acredita conhecer “mais ou menos” o motivo da diferença significativa de seguidores entre seus perfis no TikTok e no Instagram. Quem veio primeiro, inclusive, foi a conta na rede social de Mark Zuckerberg. Segundo o maranhense, o TikTok atrai mais números por “possibilitar uma maior divulgação de vídeo”. A plataforma permite, além das estratégias internas, o download de determinado vídeo e envio em outros aplicativos. O arquivo já sai do TikTok com o nome de usuário de quem o fez. Para João, isso “facilita mais para as pessoas”.

Já no Instagram, em comparação, o máximo de compartilhamento possível é enviar o link de um vídeo. “Tu não pode mandar o vídeo para a pessoa assistir logo. Aí tem gente que está sem Internet, sei lá, ou quer assistir depois”, comenta. Porém, esse não é um ponto que preocupa João. O importante para ele, no momento, é continuar produzindo material que as pessoas gostem e aproveitem.

Tanto que ele nem pensa em caminhos alternativos à Internet em se tratando de carreira. “Eu penso em aproveitar o máximo o momento que eu estou vivendo, porque nem toda fama é para sempre. Quando as pessoas pararem de gostar dos meus vídeos eu vejo o que eu vou fazer. Eu tento também não me prender muito a isso não. Eu vivo o momento agora. Depois eu vejo o que eu vou fazer”, reflete.

João Ferdnan, do TikTok: família e vida pessoal

Pessoa com deficiência, João escolheu não priorizar essa parte de sua vivência em seus perfis nas redes sociais por não desejar que fosse o fator determinante de seu sucesso. “Eu queria que as pessoas me seguissem pelo meu conteúdo, pelo o que eu falo”, diz. Ele pontua, ainda, que seus vídeos não têm muitas ações físicas, como correr e andar, para que o foco das narrativas permaneça em sua fala. “É mais o que eu falo que as pessoas se identificam e dão risada”.

Apesar disso, os comentários sociais de João já se tornaram motivo de discussão em sua família. Alguns de seus familiares são evangélicos e criticam vídeos em que ele ironiza a cultura religiosa. “Falam para mim não brincar com Deus, não brincar com essas coisas. Mas passa logo. Eu digo ‘não gente isso aí é só no vídeo, é só pra gerar identificação’. Aí rápido passa a briga”, explica. No começo, sua família também se preocupou com a exposição na Internet. “Mas quando começou a entrar dinheiro, tudo mudou”, brinca ele.

@joaoferdnan

“e tá tudo bem” kkkkkkkk

 som original - João Ferdnan

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags