Participamos do

Marighella: 5 curiosidades sobre filme, quem foi o ativista e onde assistir

O longa Marighella estreou em 4 de novembro; conheça algumas curiosidades do filme que foi aplaudido de pé no Festival de Berlim em 2019, além de onde assistir e perfil contando quem foi o ativista
18:43 | Nov. 09, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Marighella, filme dirigido por Wagner Moura, chegou aos cinemas brasileiros na última quinta-feira, 4 de novembro, após mais de dois anos de atraso. O longa teve sua data de estreia exatamente 52 anos após a morte do ativista baiano e ex-deputado Carlos Marighella - a história narra os últimos cinco anos de vida do guerrilheiro durante a ditadura militar e conta com Seu Jorge interpretando o escritor e político ao lado de Bruno Gagliasso, Adriana Esteves e Humberto Carrão. 

Marighella: confira 5 curiosidades do filme

1. Inspirado na biografia de Marighella

A história foi inspirada na biografia escrita pelo jornalista Mário Magalhães sobre o guerrilheiro, "Marighella: O guerrilheiro que incendiou o mundo", de 2012. O longa detalha os passos do escritor, político e guerrilheiro que liderou um dos maiores movimentos de resistência contra a ditadura militar no Brasil, até sua violenta morte em uma emboscada, em 1969.

2. Novato na direção de Marighella

Marighella marca o início da carreira de Wagner Moura como diretor e roteirista do longa. Além dele, Felipe Braga, Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlinck assinam como roteiristas e produtores.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

3. Estreia de Marighella foi adiada

Em virtude da pandemia, o longa teve sua data de estreia brecada em 2019. Recentemente, algumas ações se tornaram alvo de denúncias de censura. Porém, em 4 de novembro deste ano, o filme chegou às telas dos cinemas brasileiros.

4. Elenco de Marighella

O elenco de Marighella é composto por atores consagrados na dramaturgia brasileira. Além de Seu Jorge, no papel principal, Adriana Esteves, Bruno Gagliasso, Herson Capri, Ana Paula Bouzas, Bella Camero, Humberto Carrão, Jorge Paz, Rafael Lozano e Luiz Carlos Vasconcelos dão vida ao filme.

5. Exibição mundial de Marighella

A estreia em âmbito mundial do filme Marighella ocorreu no Festival de Berlim em 2019. Na ocasião o longa foi aplaudido de pé. Após isso, o filme foi exibido nos 5 continentes mais de 30 vezes onde também passou por outros festivais internacionais como Seattle, Hong Kong, Sydney, Santiago, Havana, Istambul, Atenas, Estocolmo e Cairo.

Quem foi Marighella?

Carlos Marighella nasceu em Salvador e foi um dos sete filhos de uma família pobre. Seu pai era um imigrante italiano que trabalhava como metalúrgico e sua mãe era uma empregada doméstica. Os dois incentivaram a educação dele, ao influenciar que lesse vários livros. Adepto às letras, escrevia poemas, mas nunca seguiu carreira. Tornou-se estudante de Engenharia Civil, mas abandonou o curso para se filiar ao Partido Comunista Brasileiro (PCB) em 1934, durante a Era Vargas.

No período de Getúlio Vargas, foi preso e torturado pela polícia durante um ano. Ao sair da prisão, entrou na clandestinidade e permaneceu dessa maneira por vários anos, enquanto era perseguido por agentes do governo. Entre 1939 e 1945, foi preso novamente até ser anistiado durante a redemocratização. Continuou a atuar na política pelas duas décadas seguintes. Quando o Brasil enfrentou o golpe militar, foi baleado e preso pelo Departamento de Ordem Política e Social (Dops) até ser solto em decisão judicial.

 

Tornou-se um dos cofundadores da Ação Libertadora Nacional (ALN), organização de esquerda que defendia a luta armada contra o regime. O grupo ficou conhecido na época por assaltar bancos para financiar guerrilhas e sequestrar pessoas públicas em troca de militantes que estavam presos. Uma das ações mais proeminentes foi quando a ALN se juntou ao Movimento Revolucionário Oito de Outubro (MR-8) para realizar o sequestro do embaixador estadunidense Charles Elbrick, em 1969. Com isso, as duas organizações liberaram 15 presos políticos, além de conquistarem espaço na mídia.

Com esses embates, Marighella foi considerado o “inimigo número 1” da ditadura militar. Agentes do Dops conseguiram a localização do guerrilheiro após torturar pessoas próximas. Ele foi assassinado no dia 4 de novembro de 1969, aos 57 anos, dentro de um carro. Décadas depois, em 1996, o Ministério da Justiça reconheceu a responsabilidade do Estado na morte do político. Em 2012, a Comissão da Verdade concedeu a anistia de Carlos Marighella.

Marighella: onde assistir

O filme Marighella está em cartaz nos cinemas nacionais. O longa se tornou o filme brasileiro mais visto desde o início da pandemia e arrecadou quase R$2 milhões só na semana de estreia.

Marighella: assista ao trailer

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Marighella: 5 curiosidades sobre filme, quem foi o ativista e onde assistir
Participamos do

Marighella: 5 curiosidades sobre filme, quem foi o ativista e onde assistir

O longa Marighella estreou em 4 de novembro; conheça algumas curiosidades do filme que foi aplaudido de pé no Festival de Berlim em 2019, além de onde assistir e perfil contando quem foi o ativista
18:43 | Nov. 09, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Marighella, filme dirigido por Wagner Moura, chegou aos cinemas brasileiros na última quinta-feira, 4 de novembro, após mais de dois anos de atraso. O longa teve sua data de estreia exatamente 52 anos após a morte do ativista baiano e ex-deputado Carlos Marighella - a história narra os últimos cinco anos de vida do guerrilheiro durante a ditadura militar e conta com Seu Jorge interpretando o escritor e político ao lado de Bruno Gagliasso, Adriana Esteves e Humberto Carrão. 

Marighella: confira 5 curiosidades do filme

1. Inspirado na biografia de Marighella

A história foi inspirada na biografia escrita pelo jornalista Mário Magalhães sobre o guerrilheiro, "Marighella: O guerrilheiro que incendiou o mundo", de 2012. O longa detalha os passos do escritor, político e guerrilheiro que liderou um dos maiores movimentos de resistência contra a ditadura militar no Brasil, até sua violenta morte em uma emboscada, em 1969.

2. Novato na direção de Marighella

Marighella marca o início da carreira de Wagner Moura como diretor e roteirista do longa. Além dele, Felipe Braga, Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlinck assinam como roteiristas e produtores.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

3. Estreia de Marighella foi adiada

Em virtude da pandemia, o longa teve sua data de estreia brecada em 2019. Recentemente, algumas ações se tornaram alvo de denúncias de censura. Porém, em 4 de novembro deste ano, o filme chegou às telas dos cinemas brasileiros.

4. Elenco de Marighella

O elenco de Marighella é composto por atores consagrados na dramaturgia brasileira. Além de Seu Jorge, no papel principal, Adriana Esteves, Bruno Gagliasso, Herson Capri, Ana Paula Bouzas, Bella Camero, Humberto Carrão, Jorge Paz, Rafael Lozano e Luiz Carlos Vasconcelos dão vida ao filme.

5. Exibição mundial de Marighella

A estreia em âmbito mundial do filme Marighella ocorreu no Festival de Berlim em 2019. Na ocasião o longa foi aplaudido de pé. Após isso, o filme foi exibido nos 5 continentes mais de 30 vezes onde também passou por outros festivais internacionais como Seattle, Hong Kong, Sydney, Santiago, Havana, Istambul, Atenas, Estocolmo e Cairo.

Quem foi Marighella?

Carlos Marighella nasceu em Salvador e foi um dos sete filhos de uma família pobre. Seu pai era um imigrante italiano que trabalhava como metalúrgico e sua mãe era uma empregada doméstica. Os dois incentivaram a educação dele, ao influenciar que lesse vários livros. Adepto às letras, escrevia poemas, mas nunca seguiu carreira. Tornou-se estudante de Engenharia Civil, mas abandonou o curso para se filiar ao Partido Comunista Brasileiro (PCB) em 1934, durante a Era Vargas.

No período de Getúlio Vargas, foi preso e torturado pela polícia durante um ano. Ao sair da prisão, entrou na clandestinidade e permaneceu dessa maneira por vários anos, enquanto era perseguido por agentes do governo. Entre 1939 e 1945, foi preso novamente até ser anistiado durante a redemocratização. Continuou a atuar na política pelas duas décadas seguintes. Quando o Brasil enfrentou o golpe militar, foi baleado e preso pelo Departamento de Ordem Política e Social (Dops) até ser solto em decisão judicial.

 

Tornou-se um dos cofundadores da Ação Libertadora Nacional (ALN), organização de esquerda que defendia a luta armada contra o regime. O grupo ficou conhecido na época por assaltar bancos para financiar guerrilhas e sequestrar pessoas públicas em troca de militantes que estavam presos. Uma das ações mais proeminentes foi quando a ALN se juntou ao Movimento Revolucionário Oito de Outubro (MR-8) para realizar o sequestro do embaixador estadunidense Charles Elbrick, em 1969. Com isso, as duas organizações liberaram 15 presos políticos, além de conquistarem espaço na mídia.

Com esses embates, Marighella foi considerado o “inimigo número 1” da ditadura militar. Agentes do Dops conseguiram a localização do guerrilheiro após torturar pessoas próximas. Ele foi assassinado no dia 4 de novembro de 1969, aos 57 anos, dentro de um carro. Décadas depois, em 1996, o Ministério da Justiça reconheceu a responsabilidade do Estado na morte do político. Em 2012, a Comissão da Verdade concedeu a anistia de Carlos Marighella.

Marighella: onde assistir

O filme Marighella está em cartaz nos cinemas nacionais. O longa se tornou o filme brasileiro mais visto desde o início da pandemia e arrecadou quase R$2 milhões só na semana de estreia.

Marighella: assista ao trailer

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags