PUBLICIDADE
Vida & Arte
Noticia

Mangás, memes e sustentabilidade marcam cerimônia de abertura das Olimpíadas

Apesar das polêmicas que envolviam a organização do evento, abertura dos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020 contou com apresentações significativas

12:23 | 23/07/2021
Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos conta com coreografias, drones, fogos de artifício e muitas homenagens (Foto: Reprodução / Twitter)
Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos conta com coreografias, drones, fogos de artifício e muitas homenagens (Foto: Reprodução / Twitter)

Com performances de música e dança cheias de significados, a abertura oficial das Olimpíadas de Tóquio aconteceu na manhã desta sexta, 23, às 20h do horário de Brasília. Em meio aos tensionamentos que assolaram a produção do evento, as apresentações mostraram um pouco da história do Japão, além de trazer referências à pandemia da Covid-19 e homenagens aos atletas.

A organização da cerimônia foi marcada por polêmicas envolvendo a equipe de produção. Na véspera do evento, o diretor Kentaro Kobayashi pediu demissão após vir à tona piadas sobre o holocausto. Antes disso,  o ex-presidente de Tóquio 2020, o ex-primeiro-ministro Yoshiro Mori, deixou o cargo em fevereiro após fazer comentários sexistas. O diretor criativo das Olimpíadas de Tóquio, Hiroshi Sasaki, também saiu da organização após comentário depreciativo sobre uma popular artista japonesa. 

Leia também | Netflix aposta nos jogos devido ao lento crescimento do streaming

Mas as polêmicas não fizeram o show parar. Com público reduzido, o evento contou com coreografia, show de luzes e fogos de artifício. Para quem estava esperando performances cheias de tecnologia, já que o Japão é conhecido pela modernidade, precisou se contentar com apresentações mais simples, porém com muitos simbolismos.

Os primeiros segmentos foram dedicados a mostrar a preparação dos atletas em tempos de distanciamento social. "Muitos atletas tiveram que treinar para este momento de forma isolada. Mas eles sempre estiveram conectados por sua esperança e paixão compartilhadas", foi dito através do twitter oficial das Olimpíadas.

Além da homenagem aos atletas, a cerimônia contou com um minuto de silêncio às vítimas da Covid-19. O imperador do Japão, Naruhito, também foi destacado, marcando um início de uma nova era para o país e assistiu à abertura das Olimpíadas ao lado do presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach.

Leia também | Michaela Coel, de "I May Destroy You", integra elenco de Pantera Negra 2

Considerado um dos mais antigos do mundo, o hino nacional, o Kimigayo, foi cantado por Misia, natural de Nagasaki. A artista é um dos maiores destaques da música japonesa, com 10 álbuns e mais de 30 milhões de discos vendidos. O arranjo do hino foi elaborado por Shiro Sagisu, que já trabalhou na composição da trilha sonora de animes famosos, como Evangelion.

A entrada da bandeira contou com a presença de crianças, atletas, pessoa com deficiência e profissional de saúde. Abordando sustentabilidade, membros de associação de preservação do Japão entraram em cena com trabalhos em madeira, dando origem aos anéis olímpicos. A cena representou a necessidade de preservação dos recursos naturais. A madeira dos arcos veio de árvores plantadas pelos atletas japoneses em 1964, ano que o país também sediou o evento esportivo. 

Com redução de tempo e quantidade de pessoas, pela primeira vez o desfile das delegações de atletas não seguiu a ordem alfabética. Isso porque a cerimônia respeitou o alfabeto japonês, com exceção para a Grécia, berço dos jogos olímpicos, continuou a tradição de ser o primeiro país a entrar. O Brasil foi 151º na ordem, com os atletas Bruno Rezende, da Seleção Brasileira de Vôlei Masculino, e a judoca Ketleyn Quadros segurando a bandeira do País. A maioria dos países optou por um homem e uma mulher conduzirem a bandeira, em defesa da igualdade de gênero.

Leia também | Happier Than Ever: Billie Eilish apresenta show em setembro no Disney Plus

As placas com nomes dos países foram inspiradas em balões de mangás, as histórias em quadrinhos japonesas, e feitas de garrafas PET, devido ao compromisso do país em realizar os Jogos Olímpicos com carbono zero, usando energia renovável. A trilha sonora do desfile foi formada por músicas de jogos japoneses famosos, como Dragon Quest, Final Fantasy, Sonic e Winning Eleven.

E é claro que não podia faltar memes no evento. Sucesso nas olimpíadas de Rio 2016, o "besuntado de Tonga" marcou presença também em Tóquio. Pita Tafatofua, que disputa taekwondo, foi o responsável por vestir o figurino característico do país e chamar atenção dos internautas. Mas parece que o meme de Tonga agora virou tendência. O porta-bandeira de Vanuatu, Rillio Rii, também desfilou com figurino semelhante. Será que teremos agora o "besuntado de Vanuatu" também?

O emblema dos Jogos Olímpicos foi formado no céu por 1.824 drones. No centro do estádio, o mesmo emblema surgiu a partir de blocos coloridos, organizados por dançarinos de diversas idades e etnias. Também houve uma apresentação musical, com "Imagine" de John Lennon, cantada pelo Suginami Junior Chorus e outros artistas de diferentes continentes, como John Legend e Keith Urban.

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.