PUBLICIDADE
Vida & Arte
Opiniao

Alex Kidd: O retorno nostálgico do herói dos games

Um dos maiores clássicos dos jogos eletrônicos retorna de cara nova, mas sem esquecer as suas raízes

19:09 | 07/07/2021
Alex Kidd in Miracle World DX é um remake do título original do Master System (Foto: Divulgação)
Alex Kidd in Miracle World DX é um remake do título original do Master System (Foto: Divulgação)

Alex Kidd in Miracle World DX é um remake do título original do Master System e traz não somente nostalgia para aqueles que jogaram o game no comecinho dos anos 1990, mas também o próprio jogo para os dias atuais com uma aparência renovada e um monte de recursos novos e interessantes.

Desenvolvido pelos estúdios Jankenteam e Merge Games, o game de plataforma 2D coloca o jogador no controle de Alex Kidd, um dos primeiros personagens icônicos do mundo dos games e que há tempos merecia uma segunda chance nos consoles atuais. No game, a região de Radaxian se encontra sob a ameaça do vilão Janken e cabe a Alex avançar por uma série de fases, enfrentando inimigos e armadilhas para assim obter objetos mágicos e derrotar o vilão.

Leia Também | Halsey anuncia álbum sobre experiências de gravidez e maternidade

Característico dos tempos em que os gamepads não tinham muitos botões, os controles do jogo são super simples, envolvendo apenas as ações de pular, usar objetos, falar com alguém, socar ou atirar em algo. Veículos, como motocicletas, barcos e helicópteros adicionam variedade à jogatina, mas, como o próprio Alex, basta encostarem em um inimigo para serem destruídos. Ademais, além de seus próprios punhos, Alex é capaz de usar alguns objetos mágicos que podem ser encontrados ou equipados, como escudos de proteção, braceletes e cajados mágicos.

Apesar da estética infantil, Alex Kidd foi e continua sendo um jogo desafiador. Esta nova versão apresenta uma maneira de torná-lo mais acessível. Basta encostar em um inimigo qualquer para morrer imediatamente. Após perder três vidas, o jogador é levado para o começo daquela fase, o que para alguns (como eu) pode se tornar frustrante. Felizmente, no remake há a opção de ativar vidas infinitas. Com ela ativada, sempre que o jogador morrer, ele será transportado para a plataforma mais próxima para continuar jogando. Desta maneira, novatos ou jogadores mais casuais poderão aproveitar o título sem dores de cabeça.

Apesar da estética infantil, Alex Kidd foi e continua sendo um jogo desafiador
Apesar da estética infantil, Alex Kidd foi e continua sendo um jogo desafiador (Foto: Divulgação)

Entre algumas fases, há lojas que vendem itens e veículos que ajudam a superar obstáculos e que podem ser comprados por meio da coleta de sacos de dinheiro espalhados pelos mapas anteriores. Novamente, jogadores inexperientes podem fazer uso destes itens para passar das fases mais difíceis ou para vencer os vários tipos diferentes de inimigos existentes. Sobre estes, apesar de ser apenas uma criança, Alex Kidd encara de sapos, escorpiões dragões e outros tipos de criaturas assustadoras. Ironicamente, contra alguns dos chefões principais do jogo, Alex faz uso de um arsenal diferente: pedra, papel e tesoura. Sim! Ganhar em uma melhor de três partidas contra cada chefe garante a vitória e permite o avanço no jogo.

Leia Também | Estreias do cinema: Viúva Negra e 007 chegam no 2º semestre

Além da opção de ativar vidas infinitas, o remake traz também novas fases, com inimigos ausentes no jogo original e um modo de jogo com apenas embates contra os chefes do game. Agora, sem dúvida alguma, o que mais chama a atenção em Alex Kidd in Miracle World DX é a possibilidade de alternar entre os gráficos e sons da versão atualizada e da original do game com o aperto de um único botão. A opção não é novidade em remakes deste tipo, mas com certeza é interessante e foi muito bem implementada pela equipe de desenvolvimento desta versão do game.

Um ponto a se questionar no trabalho de criação das duas versões do jogo é o da movimentação do personagem, que se manteve a mesma e nunca foi o ponto alto de nenhum Alex Kidd. Outros remakes similares foram além dos gráficos e do áudio e trouxeram também avanços importantes aos controles em seus modos atualizados. A equipe de Miracle World DX, contudo, preferiu deixar tudo igual e acabou perdendo a chance de trazer melhorias que poderiam deixar o game como um todo mais em pé de igualdade com os jogos de plataforma atuais. É válido ressaltar que Alex Kidd in Miracle World DX foi lançado originalmente em 1989 aqui no Brasil. De lá para cá, muita coisa mudou em seu gênero.

Em relação aos seus gráficos, tanto na versão original quanto na em HD, Miracle World DX é um jogo muito bonito. Apesar de se tratar de um título de 8 bits, a paleta de cores vibrantes e bem colocadas sustentaram o teste do tempo e se mantêm atuais e atraentes. A versão em HD toma algumas liberdades no redesenho do próprio protagonista e outros elementos do cenário, deixando o jogo com uma cara alusiva aos desenhos animados de hoje em dia e com uma aparência que realmente atualiza a percepção estética sobre o game. Na parte do áudio, o jogo conta com sons e temas musicais originais e também permite optar pelas versões remixadas da nova roupagem.

Além da opção de ativar vidas infinitas, o remake traz também novas fases, com inimigos ausentes no jogo original e um modo de jogo com apenas os embates contra os chefes do game
Além da opção de ativar vidas infinitas, o remake traz também novas fases, com inimigos ausentes no jogo original e um modo de jogo com apenas os embates contra os chefes do game (Foto: Divulgação)

Este não é um game longo, especialmente se a opção de vidas infinitas for selecionada. No final dos anos 1980, quando o jogo original foi lançado, a duração da jogatina era mais dependente pelo tamanho do desafio do que pela mera quantidade de conteúdo ali presente. Felizmente, além de fases adicionais, o remake traz modos de jogo adicionais que podem aumentar um pouco o tempo de jogo total.

Leia Também | HBO Max em julho: conheça lançamentos de filmes do terror ao musical

Seja pela simplicidade dos controles, pela curiosidade em jogar um título criado no início da era dos consoles ou por mera nostalgia, Alex Kidd in Miracle World DX é uma ótima opção na categoria dos jogos de plataforma 2D. Apesar de curto, o título agrada e diverte. Além disso, oferece a opção a jogadores mais novos de conhecer um dos maiores clássicos de todos os tempos e que já merecia há tempos retornar. Quem sabe com o sucesso deste remake, Alex Kidd e cia retornem futuramente, em uma aventura completamente nova.

Alex Kidd in Miracle World DX está disponível para PC, Nintendo Switch, PS4, PS5, Xbox One e Xbox Series X|S.

Davi Rocha é integrante do canal de Youtube Bacontástico

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.