Participamos do

Netflix, Amazon e atores boicotam Globo de Ouro após polêmicas

O portal estadunidense Deadline divulgou que a Netflix não trabalhará com o Globo de Ouro até que reformas mais contundentes sejam feitas; streaming se junta a Amazon, Tom Cruise, Mark Ruffalo e Scarlett Johansson
18:46 | Mai. 10, 2021
Autor Clara Menezes
Foto do autor
Clara Menezes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Desde fevereiro deste ano, o Globo de Ouro, uma das maiores premiações da indústria cinematográfica, enfrenta várias polêmicas por causa da falta de diversidade em seu evento. Racismo, questionamentos sobre o processo de escolha dos premiados e uma suposta corrupção financeira estão entre as principais acusações. A situação culminou em um boicote que levou a plataforma de streaming Netflix a deixar de participar da cerimônia em 2022.

O anúncio foi divulgado pelo portal estadunidense Deadline e aconteceu após as reformas propostas pelo Hollywood Foreign Press Association (HFPA) - grupo que compõe o evento. Na última quinta-feira, 6, a HFPA aprovou um pacote que pede o aumento do número de membros em 50% para incluir mais jornalistas negros, além do levantamento dos limites sobre quem é admitido.

Leia também | Crise e relevância no Globo de Ouro

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A situação propõe transformações, mas empresas e atores demonstram insatisfação. “A votação de hoje é um primeiro passo importante. No entanto, não acreditamos que essas novas políticas propostas - particularmente em relação ao tamanho e velocidade do aumento de sócios - vão enfrentar a diversidade sistêmica do HFPA e os desafios de inclusão, ou a falta de padrões claros de como seus membros devem operar”, pontou Ted Sarandos, um dos CEO’s da Netflix, em carta endereçada à associação.

O empresário, então, comunica que encerrará as atividades com a organização até que “mudanças mais significativas sejam feitas”. “Sabemos que há muitos membros bem-intencionados que desejam uma mudança real - e que todos nós temos mais trabalho a fazer para criar uma indústria igualitária e inclusiva. Mas a Netflix e muitos dos talentos e criadores com que trabalhamos não podem ignorar o fracasso coletivo da HFPA em abordar essas questões cruciais com urgência e rigor”, afirma ele.

Leia também | Bob Marley eterno: 40 anos sem o rei do reggae

O texto divulgado pelo Deadline se junta ao boicote que está sendo realizado na indústria estadunidense. A Amazon Studios, detentora de premiados filmes como “Uma Noite Em Miami” (2020), também cortou relações com a premiação.

Nesta segunda-feira, 20, a NBC anunciou que não irá transmitir a cerimônia em 2022. "Continuamos acreditando que a HFPA está comprometida com uma reforma significativa. Mas uma mudança desta magnitude requer tempo e trabalho e acreditamos que a HFPA precisa de tempo para fazê-lo bem", informou a emissora em um comunicado.

Leia também | Charge sob ameaça entre acirramentos políticos e intolerâncias

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by Mark Ruffalo (@markruffalo)

Além das empresas, atores também manifestaram suas opiniões. Mark Ruffalo (“De Repente 30” e “Vingadores: O Últimato”) divulgou um texto em suas redes sociais no dia 7 de maio. “É desencorajador ver a HFPA, que ganhou proeminência e lucrou com seu envolvimento com diretores e atores, resistir à mudança que está sendo pedida por vários grupos que foram destituídos por causa de sua cultura de segredo e exclusão”.

O site EW ainda divulgou que Scarlett Johansson ("História de um Casamento") se posicionou contra o Globo de Ouro e falou sobre situações sexistas que enfrentou. O portal Deadline também afirmou que Tom Cruise ("Missão: Impossível") devolveu seus prêmios à organização. (Com informações da AFP)

Leia também | 63ª edição do Prêmio Jabuti abre inscrições nesta quinta, 6

Podcast Vida&Arte

O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags