PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Pantanal: com remake previsto para 2021, entenda o sucesso da telenovela

Novela revolucionou o mercado da teledramaturgia e foi a única a ir de encontro a hegemonia da TV Globo no setor. A concorrente agora abrigará a nova versão de Pantanal, prevista para ir ao ar em 2021.

Marília Freitas
15:00 | 16/09/2020
Cristiana Oliveira viveu Juma Marruá em 1990, na novela Pantanal (Foto: divulgação)
Cristiana Oliveira viveu Juma Marruá em 1990, na novela Pantanal (Foto: divulgação)

Há 30 anos, a novela Pantanal estreava na extinta TV Manchete e causava uma revolução na teledramaturgia brasileira: longos takes do bioma brasileiro unidos à trama de Juma Marruá atraíam os brasileiros e consolidavam o maior sucesso da emissora carioca, chegan a ir de encontro a hegemonia da TV Globo na teledramaturgia. Agora em 2021, novos fãs também poderão ser conquistados devido a um remake  anunciado pela emissora plim plim. Após frustradas tentativas de Benedito Ruy Barbosa em convencer a emissora global com a trama, a TV Manchete enfim firmou contrato.

Estreava em março de 1990, às 21h30min, a saga da família Leôncio sob capítulos recheados de recursos ainda pouco explorados na televisão aberta, como a sensualidade dos personagens e a regionalidade do bioma brasileiro. Pantanal chegou a atingir médias de mais de 40 pontos, onde a Globo viu seu posto de líder de audiência tremer.

À época com Rainha da Sucata passando às 20 horas,  a Globo tentava conter a fuga dos telespectadores para a concorrente após as 21 horas. Uma alternativa encontrada foi ampliar o tempo dos capítulos de Maria do Carmo e Laurinha Albuquerque Figueroa. Mas ainda sim, falhava, o que a fez tomar a decisão inédita com a criação do horário da "novela das nove" para ir de encontro a Pantanal - que seguiu imbatível na audiência até seu fim em dezembro de 1990. As informações são do site Teledramaturgia.

A sinopse traz a história de José Leôncio, homem que começa a criar gado de corte na região do Pantanal com o pai Joventino. Certo dia, Zé viaja para uma comitiva e ao retornar descobre que o pai desapareceu na imensidão do local. Após promessas de reencontrar o pai, vai ao Rio de Janeiro e conhece a jovem Madeline, que vem de uma família da classe alta carioca mas que está à beira da falência. O casamento rende um bom dinheiro e o casal vai morar na região selvagem, o que deixa Madeline frustrada e marca sua volta ao Rio com o filho dos braços.

Então Zé Leôncio passa a viver com sua então empregada Filó na região do Pantanal. Anos depois, seu filho carioca, Joventino, reencontra o pai, mas ambos têm sérias dificuldades para se entender e Jove volta à Capital carioca - agora com a amante Juma Marruá, moça criada como 'selvagem' pela mãe. Comenta-se que Juma tem o poder de se transformar em onça-pintada.

Com a ampla divulgação e sucesso da telenovela, o elenco de Pantanal contou com diversos nomes agora super requisitados ou conhecidos na televisão brasileira: Cristiana Oliveira retratou, aos 27 anos, o papel da sensual Juma Marruá com Marcos Winter como o peão Joventino Leôncio Neto. Ainda participaram Sérgio Reis - onde além de contracenar, participou de algumas das trilhas sonoras da novela junto com o músico Marcus Viana, Cláudio Marzo, Almir Sater e Ângela Leal.

Com o anúncio do remake, foi impossível não falar de Pantanal: após o anúncio da reestreia, surgiu a dúvida sobre quem seria a nova Jumá. Internautas perceberam, inclusive, postagens síncronas entre atrizes globais que supostamente teriam interesse em viver a personagem no remake em 2021.

Muitos brincaram com a situação, mas a verdade é que ainda não há nada certo para a novela. Mesmo prevista para 2021, não se sabe nada mais do que isso em relação à data. A missão de adaptar o texto para o momento atual, inclusive, é do neto de Benedito Ruy Barbosa, Bruno Luperi.

Ainda não foram escalados atores para a trama e obviamente os holofotes clamam para saber quem será a nova Jumá. Em entrevista ao programa Fantástico, o diretor de produção dos Estúdios Globo, Ricardo Waddington, apostou em uma atriz novata para o papel. A tática já foi usada em outras novelas da emissora, com Ana do Véu no remake de Sinhá Moça. Em 2006, Isis Valverde estrou na telinha ao retirarem o pano que cobria seu belo rosto, momento que marcou a época por uma sigilosidade vivida tempos antes da repercussão instantânea da internet nos dias de hoje.

Mas alguns atores já demonstraram interesse em interpretar algum dos personagens da nova trama, como é o caso de Antônio Fagundes. Recentemente desligado da Globo, a emissora tem interesse em trazê-lo para o remake. "A Globo está adotando novas dinâmicas de relação com seus talentos. Assim, o contrato com o Fagundes foi encerrado e devemos negociar o retorno dele para Pantanal", disse em nota.

Confira como estão alguns dos atores da novela:

Clique na imagem para abrir a galeria

Mas apenas o anúncio foi suficiente para gerar burburinho sobre o bioma: termos como "remake de pantanal", "pantanal na globo" e "juma pantanal" estiveram entre os mais buscados quando relacionados ao Pantanal nos últimos 30 dias pelo Google, de acordo com a plataforma Google Trends. Não só pela trama, mas também pela problemática que a cerca.

A região vem passando pelos maiores danos em 20 anos, analisam especialistas. A vegetação aos poucos reduzidas em cinzas provavelmente não ficará de fora do debate ambiental explícito na trama desde os anos 90.

 

 

LEIA TAMBÉM | Queimadas no Pantanal e estiagem causam preocupação em MT e MS

A própria intérprete de Jumá à época compartilhou nas redes sociais um pedido de socorro pelo Pantanal. "Pantanal, o lugar que mudou minha vida pra melhor, riqueza sem igual, coração do Brasil, patrimônio mundial, tb pulmão do mundo... me dói o coração, a alma, ver ele assim....", postou Cristina Oliveira em suas redes sociais.

 


O autor do remake Bruno Luperi também demonstrou apoio à preservação do ambiente. "O fogo já consumiu cerca de 16% do bioma pantaneiro do começo de setembro para cá. E isso é simplesmente assombroso!", declarou. Prometeu ainda que a nova adaptação "visa lançar luz sobre questões e debates sensíveis para a sociedade ao longo da trama".

 

 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 

É impossível deixar qualquer tema sobrepor a importância do que vem acontecendo neste exato momento no Pantanal. O fogo já consumiu cerca de 16% do bioma pantaneiro do começo de setembro para cá. E isso é simplesmente assombroso! Assim como na versão original, essa adaptação visa lançar luz sobre questões e debates sensíveis para a sociedade ao longo da trama. Buscando além do mero entretenimento, propor, quem sabe, uma reflexão importante para o Brasil enquanto país. Tenho fé que atores, atrizes e músicos não estarão em extinção quando esse dia chegar, mas de nada adiantará tanto talento reunido se não houver Pantanal. / Foto: @andrezumak #ajudapantanal #pantanalemchamas #sospantanal

Uma publicação compartilhada por Bruno Luperi (@brunoluperi) em

 

Para tentar proteger a área, instituições como SOS Pantanal vem articulando doações para viabilizar a melhoria da situação. O parque é conhecido por sua ampla biodiversidade e é importante casa de animais ameaçados de extinção, como a onça-pintada - animal em que Juma se transforma quando com raiva para tentar se proteger.

Enquanto na ficção temos a proteção de Jumá, na realidade é o brasileiro que pode ajudar: a instituição segue divulgando doações em seu perfil no Instagram. Também é possível ajudar pelo site da SOS Pantanal.

 

 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 

Entenda o cenário atual dos incêndios no Pantanal e saiba como ajudar: 1 - O Pantanal vive a pior seca dos últimos 47 anos. Muitas áreas que normalmente alagam, este ano ficaram secas. Muita matéria orgânica seca disponível = incêndios mais intensos 2 - Mais de 90% dos incêndios são causados pelo ser humano, alguns acidentais, outros criminosos. 3 - De Janeiro até o dia 6 de setembro, mais de 2,3 milhões de hectares já foram consumidos pelo fogo, isso equivale a 15% no bioma (15 cidades de São Paulo). 4 - As regiões da Serra do Amolar (Corumbá), Poconé, e Nabileque foram as mais atingidas este ano pelas chamas. 5 - Na região do Porto Jofre, o Parque Estadual Encontro das Águas, um santuário para a vida selvagem e lar da maior população de onças-pintadas do mundo, já teve mais de 60% de seu território consumido pelo fogo. (Fonte: @ufrj_lasa ) 6 - Diversas instituições e brigadistas voluntários estão atuando no combate e no resgate dos animais feridos. Nós do SOS estamos arrecadando recursos que serão repassados para eles. 7 - Para doar, você pode acessar o link em nossa biografia ou copiar o endereço abaixo em seu navegador: Pagseguro: https://pag.ae/7Wo8z6mzt ou PayPal: https://rb.gy/xtaauz . . . . #SOSPantanal #PantanalFires #FogoNoPantanal #IncendiosPantanal #Pantanal #AjudaPantanal

Uma publicação compartilhada por SOS Pantanal (@sospantanal) em


Já outras instituições como WWF Brasil também estão atuando no bioma, onde doações podem ser efetuadas pelo site.