PUBLICIDADE
Tecnologia
Noticia

Com chuva de meteoros e eclipse lunar, confira os eventos astronômicos de 2021

Janeiro já teve chuva de meteoros no início do mês; alguns dos eventos deverão ser vistos com equipamentos especiais.

19:11 | 06/01/2021
FORTALEZA, CE, BRASIL, 09/02/2020: Super lua no espigão da Rui Barbosa. Praia de Iracema.  (Foto: Beatriz Boblitz/ O POVO) (Foto: Beatriz Boblitz)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 09/02/2020: Super lua no espigão da Rui Barbosa. Praia de Iracema. (Foto: Beatriz Boblitz/ O POVO) (Foto: Beatriz Boblitz)

2021 chegou e com ele os tão esperados eventos astronômicos. Alguns deles podem ser acompanhados de forma esporádica, enquanto outros são bem específicos e podem acontecer novamente apenas daqui a alguns anos.

Janeiro, por exemplo, já teve chuva de meteoros e promete muitos alinhamentos entre planetas e a lua. Já a superlua desse ano, um dos eventos mais conhecidos, acontecerá em abril. O ano também marca a contagem regressiva para a missão Artemis 3, que marcará a primeira visita de uma mulher na superfície lunar. Com informações do portal TechTudo.

Confira os principais eventos astronômicos em 2021:

Janeiro

No início do ano, já teve a chuva chamada de Quadrântidas. Mas ainda há eventos para o mês: o encontro entre três Júpiter, Saturno e Mercúrio. A aproximação de Júpiter e Saturno gerou vários fenômenos celestes em dezembro, como a estrela de Davi, que só pode ser vista em ocasiões raras. A novidade é o planeta Mercúrio, que se junta aos dois e promove uma Tripla Conjunção Planetária. O fenômeno pode ser observado contemplando o horizonte na direção Oeste, nos dias 9, 10 e 11 de janeiro.

Outra conjunção ocorrerá no dia 14 de janeiro, quando a Lua irá se alinhar com o trio e, no dia 11 de janeiro, outra conjunção poderá ser vista, dessa vez entre a Lua e Vênus. O fenômeno pode ser contemplado por volta das 4 horas da manhã, e segue junta até o sol nascer.

No dia 21, a Lua e Marte ficarão próximos. Urano também se aproximará da dupla, porém a visualização ocorre com dificuldade a olho nu, sendo mais propícios equipamentos especializados. O planeta é o único astro que pode ser visto em aspecto esverdeado.

Março

Mercúrio, Júpiter, Saturno estarão bem próximos da Lua no dia 9 de março, às 4h. A Lua estará no início da fase crescente, então ela aparecerá apenas como um pequeno risco no céu.

Abril

A partir de 27 de abril, teremos uma Superlua no céu brasileiro, o evento acontece em uma quinta-feira, 8. Nosso único satélite natural estará em seu ponto mais próximo da Terra e em sua fase mais luminosa: a da Lua cheia. Em 2020, o fenômeno atraiu diversos curiosos para a Praia de Iracema.

Entre as 19h e 21h do dia 17, o momento é propício para observar Marte perto da Lua. Ainda, a anual chuva de meteoros Líridas atingirá seu pico entre os dias 21 e 22 de abril. O evento só acontece uma vez a cada 415 anos.

Maio

Entre os dias 5 e 6 de maio, a chuva de meteoros Eta Aquáridas atingirá sua atividade máxima. A chuva é associada aos detritos do cometa Halley e é conhecida por sua alta velocidade de seus meteoros.

Já no dia 26, haverá eclipse lunar total. Em 2021, o evento coincide com a segunda superlua do ano, gerando o que astrônomos chamam de Luas de Sangue devido ao seu brilho laranja-avermelhado. O eclipse será apenas parcial no Brasil. As regiões mais privilegiadas serão às próximas ao Pacífico, como a cidade de Rio Branco. Mas a superlua poderá ser apreciada por todos.

Julho

A Delta Aquarídeas atingirá seu pico no dia 28, com o número alto de taxa de meteoros por hora. Seu radiante fica na constelação de Aquário, mais precisamente a estrela Delta Aquarii, mas seu registro ainda é bastante recente.

Agosto

Uma das mais brilhantes do ano, a chuva de Perseidas terá seu pico por volta dos dias 9 a 13 de agosto. Como é vista melhor no hemisfério Norte, pode ser dificil de visualizá-la no céu brasileiro. Com sorte, será possível ver earthgrazers - quando um fragmento espacial atinge a atmosfera em um ãngulo muito baixo e termina retornando ao espaço.

Já no dia 18 de agosto, será possível verficar uma estreita conjunção de Marte e de Mercúrio. Segundo o site Techtudo, é difícil observar quando os planetas estiverem se aproximando do horizonte após o pôr-do-sol. Mas haverá chances para as regiões Norte e Nordeste.

Outubro

Derivada do cometa Halley, a chuva de meteoros Orionídeas acontece entre os dias 15 e 29 de outubro, com seu pico sendo na madrugada do dia 20 para o dia 21. Eles podem ser bem veloresz, com cerca de 66 km/s. Entretanto, há previsão de que a Lua Cheia estará próxima do radiante e poderá atrapalhar a visualização do evento.

Novembro

No dia 5 de outubro, haverá o pico da chuva de meteoros Táuridas do Sul. A chuva atingirá uma proximidade com a estrela Aldebaran, um dos objetos mais brilhantes do céu noturno.

Já entre os dias 7 a 9 de novembro, srá um momento legal para ver o planeta Vênus próximo da lua. Infelizmente, como ela estará no início da fase crescente, veremos pouco dela durante a aproximação. No dia 17, haverá outra chuva de meteoros com Leônidas. O pico acontece nesta terça-feira do mês de outubro. Mesmo com a Lua Cheia atrapalhando novamente a visibilidade, a chuva poderá proporcionar algumas "bolas de fogo" em altas velocidades, como 70 km/h. A última chuva de meteoros de 2021 terá seu pico no dia 19 de novembro: o espetáculo das Geminídeas poderá chegar a uma taxa de 120 meteoros por hora.