Participamos do

Ceará tem um caso confirmado de sarampo; confira nove perguntas e respostas sobre a doença

Entre 2 de junho a 24 de agosto deste ano, 106 exames para diagnostico da doença foram solicitados no Estado
12:05 | Ago. 29, 2019
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Na última sexta-feira, 23, o Ceará registrou o primeiro caso confirmado de sarampo, segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). O Estado não apresentava relatos da doença desde 2015, quando houve um caso em julho daquele ano. Nesta semana, o Ministério da Saúde começou a enviar mais de 71 mil doses extras da vacina tríplice viral ao Ceará. A ação visa garantir a dose extra contra o sarampo em todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias.

De acordo com o novo boletim epidemiológico da doença, o Brasil registrou 2.331 casos confirmados de sarampo entre 2 de junho a 24 de agosto deste ano. Os casos foram detectados em 13 estados, entre eles seis do Nordeste: Piauí, Sergipe, Bahia, Rio Grande do Norte, Maranhão e Pernambuco. Ainda segundo o documento, nesses 90 dias, 106 exames foram solicitados no Ceará.

O surto é mundial. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o número de casos de sarampo no mundo triplicou nos primeiros sete meses de 2019, considerando o mesmo período do ano em 2018. O Brasil vinha de um histórico de não registrar casos adquiridos dentro do País desde o ano 2000 – entre 2013 e 2015, ocorreram dois surtos, um no Ceará e outro em Pernambuco, a partir de casos importados.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Confira a seguir nove perguntas e respostas frequentes sobre a doença:

1) O que é sarampo?

Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Segundo o Ministério da Saúde, uma pessoa infectada pode transmitir a doença para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes. A transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo.

2) Quais são os principais sintomas?

Os principais sintomas do sarampo são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade.

3) Como é o tratamento?

Não existe tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença. Não faça uso de nenhum medicamento sem orientação médica e procure o serviço de saúde mais próximo, caso apresente os sintomas descritos acima.

4) É possível prevenir?

A doença é prevenível por vacinação. Os critérios de indicação da vacina são revisados periodicamente pelo Ministério da Saúde e levam em conta características clínicas da doença, idade, ter adoecido por sarampo durante a vida, ocorrência de surtos, além de outros aspectos epidemiológicos.

5) Quais são as vacinas que protegem do sarampo?

Existem três tipos de vacinas que imunizam contra a doença. Cabe ao profissional de saúde aplicar a vacina adequada para cada pessoa, de acordo com a idade ou situação epidemiológica. Os tipos de vacinas são:

Dupla viral - Protege do vírus do sarampo e da rubéola.

Tríplice viral - Protege do vírus do sarampo, caxumba e rubéola;

Tetra viral - Protege do vírus do sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora).

6) Quem deve se vacinar contra o sarampo?

Deve-se seguir o calendário orientado pelo Ministério da Saúde. O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses (a tetra viral) de idade.

Para quem tem até 49 anos não cumpriu esse esquema, o Ministério preconiza:

- Até os 29 anos: duas doses, da tríplice ou tetra viral

- Dos 30 aos 49 anos: dose única, da tríplice ou tetra viral

Quem já tomou duas dessas injeções durante a vida não precisa se preocupar.

7) Quando há surto, é preciso se vacinar novamente?

Não. Quem tiver se vacinado contra o sarampo conforme preconizado para sua faixa etária não precisa receber a vacina novamente.

8) Grávidas podem tomar a vacina contra o sarampo?

A vacina é contraindicada durante a gestação pois são produzidas com o vírus do sarampo vivo, apesar de atenuado. A gestação tende a diminuir a imunidade da mulher, o que deixa o sistema imunológico mais vulnerável e, por isso, a vacina pode desenvolver a doença ou complicações. O recomendado pelo Ministério da Saúde é que a mulher que faça planos de engravidar tome todas as doses da vacina antes e mantenha toda a rotina prevista no Calendário Nacional de Vacinação atualizada, para se proteger e proteger o bebê.

9) Quais as complicações do sarampo?

O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou até levar à morte. As complicações podem ser diferentes em cada fase da vida.

Crianças

- Pneumonia: Cerca de 1 em cada 20 crianças com sarampo pode desenvolver pneumonia, causa mais comum de morte por sarampo em crianças pequenas;

- Infecções de ouvido: Ocorrem em cerca de 1 em 10 crianças com sarampo e pode resultar em perda auditiva permanente;

- Encefalite aguda - 1 em cada 1.000 crianças podem desenvolver essa complicação e 10% destas podem morrer;

- Morte: 1 a 3 a cada 1.000 crianças doentes podem morrer em decorrência de complicações da doença.

Adultos

- Pneumonia.

Gestantes

- De acordo com o Ministério da Saúde, a mulher em idade fértil (10 a 49 anos) não vacinada antes da gravidez pode apresentar parto prematuro e o bebê pode nascer com baixo peso.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags