Valim rebate acusação de vice sobre homofobia: "A turma do atraso quer politizar"

Deuzinho Filho promete processar o atual prefeito de Caucaia após funcionário da gestão o acusar de usar verba pública para pagar "gogo boys"

O prefeito de Caucaia, Vitor Valim (sem partido) realizou uma live para comentar as polêmicas que envolvem o seu nome desde o início da semana. O gestor rebateu as acusações feitas pelo vice, Deuzinho Filho (União Brasil), a respeito de críticas consideradas homofóbicas vindas de um funcionário da gestão, conhecido como Adriano Neguim. Em uma transmissão, Adriano acusou Deuzinho de utilizar verba pública para pagar “gogo boys”.

Sem citar nomes, Valim aponta que a população é respeitada independente de partido político, orientação sexual, cor, raça e religião. “O nosso município de Caucaia encara todo mundo de forma igual, trazendo cada vez mais progresso, independente da cor, do credo ou da orientação sexual. Então, não queiram realmente tergiversar o assunto, porque essa turma do atraso o que quer? Politizar. Eles não querem que Caucaia continue a avançar, essa é a verdade”, pontuou.

O vice-prefeito Deuzinho Filho já anunciou que está coletando provas para denunciar Valim e seus aliados por homofobia. "As acusações que foram feitas têm que ser provadas, a gente tem respeito ao dinheiro público e eu fui acusado diretamente pelo assessor direto do prefeito Vitor de que os recursos da vice-prefeitura são utilizados para fins particulares com tons homofóbicos”, relatou o vice-prefeito. A Prefeitura de Caucaia afirma que não se trata de assessor de Valim, mas apenas de funcionário da gestão. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na transmissão realizada nesta quarta-feira, 26, Valim intitulou como “turma do atraso” o grupo de pessoas que, segundo ele, disseminam informações falsas a respeito das iniciativas propostas pela gestão, como a implantação do transporte público no Município, por exemplo.

“Porque tem uma turma, que eu chamo 'a turma do atraso', que não quer realmente que a gente faça nada pro Município, porque vocês não lembram quando a gente estava lançando o transporte público gratuito, quantas mentes do atraso inventaram mentiras dizendo que iam criar taxas, que íamos fazer isso ou aquilo, e hoje todos nós de Caucaia temos o orgulho de ser cidadãos caucaienses”, disse.

A live também abordou temas relacionados aos funcionários da saúde do Município. Valim falou diretamente ao público dos servidores e colaboradores do Hospital Municipal que os salários serão distribuídos normalmente, ainda nesta sexta-feira, 28. Ele acrescentou que, em maio, será apresentado o “Maior Programa Habitacional de Caucaia”, bem como o novo Hospital Abelardo Gadelha.

“Eu queria que essa turma propagasse a verdade. Essa turma que estava dizendo que a gente ia fechar, que ia demitir, isso tudo realmente não passa de fake news. O que vai acontecer é uma transição pacífica desses próximos 15 dias, os bons profissionais, que são a grande maioria, permanecerão no hospital e, se tiver colaborador com atraso, isso será solucionado”, relatou.

Venda de terrenos

O prefeito explicou ainda que a venda dos terrenos do Município não valerá para as terras com demarcação indígena, e criticou as pessoas que, na avaliação dele, estiveram omissas durante a votação do projeto de lei.

“Quero deixar de forma muito clara: terra que é indígena ou terra que está sob questão, inclusive invasões, nós vamos resolver de forma diferenciada”, continuou. “Ver o antigo gestor (ex-prefeito Naomi Amorim) falar que nós estamos dilapidando patrimônio público ou ver aqueles que foram omissos nessas votações estarem a me criticar… eu, que verdadeiramente estou cuidando do patrimônio do nosso município, e não dilapidando”.

Valim pontua que os terrenos públicos leiloados serão os que não estão “cumprindo o fator social" e "terras que podem trazer dividendos ao município”. Segundo ele, a alienação ocorrerá por meio de leilão público e com a devida transparência. Ele afirma que a venda será realizada por meio de lotes, nos quais serão difundidos terrenos considerados mais valorizados e menos valorizados. A empresa responsável pelo loteamento dos terrenos será a mesma que trata das questões do Ministério Público Federal, da Justiça Federal e do Governo do Estado do Ceará.

O prefeito declarou que 20% do valor arrecadado na alienação das terras será destinado ao Instituto de Previdência do Município de Caucaia (IMPC). Na visão do gestor, muitas “aplicações levianas” ocorreram no passado, e a venda desses imóveis é uma alternativa para garantir a diminuição do déficit atuarial. Ele completou que uma parte do valor será utilizado na infraestrutura do município e na reforma da Escola Luzardo Viana.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

prefeitura de caucaia venda de imóveis vitor valim caucaia loteamento

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar