Participamos do

Capitão Wagner responde a Cid Gomes: "Comecei a trabalhar com 14 anos"

Pré-candidato responde ao comentário do pedetista, segundo o qual ele "recebe dinheiro da segurança pública sem trabalhar"
10:58 | Mar. 12, 2022
Autor Carlos Holanda
Foto do autor
Carlos Holanda Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Pré-candidato da oposição ao Governo do Ceará, Capitão Wagner (Pros) respondeu ao senador Cid Gomes (PDT) nas redes socais, após o ex-governador ter dito, nessa sexta-feira, que ele "recebe dinheiro da segurança pública sem trabalhar e fez isso a vida inteira" (veja aqui).

"Comecei a trabalhar com 14 anos. Meu primeiro registro em carteira foi aos 17. Como policial fui promovido 3 vezes. A última, que me tornou Capitão, foi feita pelo governador da época, Cid Ferreira Gomes. Nesse período, também recebi o reconhecimento de Policial Padrão pelos serviços prestados", escreveu Wagner no Instagram.

A crítica de Cid ao opositor ocorreu no contexto de um comentário sobre o debate recente entre o governador Camilo Santana (PT) e Wagner. No Palácio da Abolição, nessa quinta-feira, 10, Camilo disse que o capitão da reserva da Polícia Militar não tinha contribuições apresentadas na área, ao que Wagner mostrou ideias levadas aos então secretários Delci Teixeria e André Costa  (Segurança Pública e Defesa Social).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Sou professor e hoje estou Deputado servindo ao Ceará. Sendo governador, pretendo dar oportunidade a grande maioria dos cearenses, que assim como eu, tem a vida marcada por esforço, honra e trabalho. Foi assim que cheguei até aqui e é nisso que acredito", adicionou Wagner.

Ele afirmou que, para "cada ataque", responderá com proposta para o Ceará. A da vez foi a criação de um Instituto de Tecnologia do Ceará, espécie de ITA do Ceará, "para aproveitar o capital intelectual do cearense, que terá oportunidade de formação e trabalho em nosso Estado."   

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags