Participamos do

Líder do governo Camilo, Julinho é aguardado no PT; Augusta também pode ingressar no partido

A articulação é favorável aos interesses do governador Camilo Santana (PT), defensor da manutenção da aliança entre PDT e PT no Ceará. A assessoria de comunicação do parlamentar afirma que ele foi convidado, mas permanece no Cidadania
16:38 | Jan. 12, 2022
Autor Carlos Holanda
Foto do autor
Carlos Holanda Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 17h43min

Líder do governo Camilo na Assembleia Legislativa do Ceará, o deputado estadual Júlio César Filho (Cidadania), o Julinho, deve se filiar ao Partido dos Trabalhadores. É o que espera a cúpula do partido. A também deputada estadual Augusta Brito, hoje no PCdoB, é outra com possibilidade de ingressar na legenda. Com isso, o partido vai a seis deputados. Se isso se concretizar, eles se somarão a Acrísio Sena, Elmano de Freitas, Fernando Santana e Moisés Braz. No aspecto prático, o PT consolida-se como a segunda bancada da Casa, atrás somente do PDT, com 15 deputados.

A informação foi confirmada ao O POVO reservadamente por um petista influente nos rumos da agremiação. Ele ressaltou que as boas-vindas aos parlamentares serão dadas após a filiação de 12 novos prefeitos, programada para esta quinta-feira, 13. Espera-se que na janela partidária, em abril. É uma espécie de segunda etapa do processo fortalecimento do partido no Ceará para 2022.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A assessoria de comunicação do deputado Julinho respondeu à reportagem do O POVO que, embora o convite tenha sido feito, o parlamentar permanece no Cidadania e ainda não confirmou que sairá do atual partido. A equipe de Augusta afirmou que a possibilidade é real e pode ocorrer em abril.

Julinho tem bases eleitorais sobretudo em Maracanaú, mas também em Itaiçaba e Pacatuba; Augusta, em municípios como Graça, de onde foi prefeita, além de São Benedito, Mucambo e Cariré.

A articulação é favorável aos interesses do governador Camilo Santana (PT), defensor da manutenção da aliança entre PDT e PT no Ceará. Camilo vai dando ao partido uma feição compatível ao projeto político do qual participa, capitaneado pelos irmãos pedetistas Ciro e Cid Gomes.

No PT, os mais destacados interlocutores de Camilo são José Guimarães, deputado federal e principal articulador político da agremiação; De Assis Diniz, ex-secretário do Desenvolvimento Agrário do Ceará e pré-candidato a deputado estadual; Fernando Santana, deputado estadual, e o presidente do PT no Ceará, Antonio Alves Filho, o Conin.

A tese destes petistas é maioria na agremiação e vai na contramão de setores que defendem, por exemplo, que o partido se desvencilhe dos Ferreira Gomes e tenha candidatura própria em 2022, para que o ex-presidente Lula possa dispor de um palanque eleitoral no Ceará.

Há também um peso simbólico nas possíveis filiações, pois trata-se do líder e de uma vice-líder do governo Camilo na Assembleia Legislativa. O movimento vem logo após a nomeação de Ilário Marques como secretário de Direitos Humanos do prefeito de Fortaleza, José Sarto, do PDT, contra quem vereadores petistas fazem oposição na Câmara. A articulação, como noticiado por O POVO, foi liderada por Camilo.

Procurado, um petista da ala camilista da Assembleia, Acrísio Sena, respondeu somente que não sabe das conversas, mas disse que "seria uma honra ter um companheiro de legenda como o deputado Julinho, líder do governo Camilo Santana. Qualificaria ainda mais a nossa bancada do PT Ceará na Assembleia Legislativa."

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente