Participamos do

Governo Bolsonaro estanca queda de popularidade, mas ainda é rejeitado por metade dos brasileiros

As avaliações negativas, segundo pesquisa Quaest, chegam a 50%, enquanto 21% dos entrevistados consideraram o governo positivo
15:39 | Dez. 08, 2021
Autor Alice Araújo
Foto do autor
Alice Araújo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) conseguiu diminuir a queda de popularidade que vinha enfrentando nas últimas pesquisas, porém, mesmo com este feito, o mandatário ainda encara uma alta avaliação negativa, de acordo com a pesquisa da consultoria Quaest, divulgada nesta quarta-feira, 8. No levantamento, metade dos brasileiros mantém rejeição à gestão do mandatário.

O resultado da pesquisa mostra que 50% da população avalia negativamente o Governo de Bolsonaro, enquanto apenas 21% classifica como positivo. Fechando a conta, 26% dos entrevistados disseram considerar o governo regular.

No mês passado, a popularidade do chefe do Executivo bateu recorde de rejeição, chegando a 56%. A pesquisa mais atual mostra que essa queda na avaliação da imagem de Bolsonaro vem diminuindo, apresentando melhoras também nos números referentes a pesquisa por regiões, com exceção do Nordeste, onde a popularidade do ex-capitão continua em declínio.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A região onde Bolsonaro apresentou melhor avaliação foi no Sul, com 40% de avaliações negativas, seguido por 44% no Centro-Oeste, 46% no Sudeste e 50% no Norte. Na região Nordeste, o percentual negativo quanto ao governo do presidente teve seu pior resultado e ainda cresceu um ponto, chegando a 61%.

Melhora entre os evangélicos

A pesquisa da Quaest foi realizada um dia após a aprovação do nome de André Mendonça pelo Senado, para o Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente havia indicado o ex-ministro por considerá-lo “terrivelmente evangélico”, agradando, assim, sua base de apoiadores deste segmento religioso.

Coincidentemente, ou não, o levantamento revelou que Bolsonaro recuperou espaço entre os entrevistados evangélicos. Na última pesquisa, 42% se disseram insatisfeitos com o governo do chefe do Executivo, e na avaliação atual, o número caiu para 35%.

Já em outras religiões, Bolsonaro manteve mais de 50% de rejeição. Entre os católicos, 55% avaliaram o governo de forma negativa. Quanto a outras correntes religiosas, o número subiu para 56%. No que diz respeito a pessoas sem religião, 52% avaliaram negativamente a gestão do presidente.


Avaliação dos bolsonaristas

Os eleitores de Jair Bolsonaro foram a única parcela da população em que a avaliação positiva do governo é maior que a negativa. Enquanto 42% consideram a gestão boa, 32% classifica como regular.

O índice de rejeição entre eleitores do mandatário em 2018 é de 24%. Já os que votaram em Fernando Haddad (PT), 79% consideram o governo de Bolsonaro como negativo.

A pesquisa ouviu 2.037 pessoas, com 16 anos de idade ou mais, entre os dias 2 e 5 de dezembro. De acordo com as parceiras Quaest Consultoria e Genial Investimentos, as entrevistas foram realizadas face a face. O índice de confiança é de 95% e a margem de erro estimada é de 2.2 pontos percentuais.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags