Participamos do

Igreja de Pádua, na Itália, classifica concessão de cidadania a Bolsonaro como " forte constrangimento"

Bolsonaro deve receber o título de cidadão da comuna de Anguillara Veneta, comuna italiana onde nasceu seu bisavô. A honraria sofreu oposição de ativistas e grupos religiosos.
16:10 | Out. 29, 2021
Autor Alice Araújo
Foto do autor
Alice Araújo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Igreja de Pádua, na Itália, afirmou, em nota, que a concessão a Jair Bolsonaro do título de cidadão honorário da comuna de Anguillara Veneta é “um forte constrangimento” para a instituição religiosa. A proposta da honraria veio da prefeita da cidade, Alessandra Buoso, filiada à Liga, um partido de extrema direita italiano. A região é terra natal do bisavô materno do presidente, Vittorio Bolzonaro.

A concessão do título foi aprovada, mas não sem enfrentar protestos de ativistas e de grupos religiosos, que se opuseram à homenagem. Nesta quarta-feira, 27, a Igreja de Pádua, localizada a cerca de 45 km da comuna, se manifestou reiterando sua oposição.

Em nota intitulada "Laços com o Brasil, apelo a Bolsonaro", a Igreja diz: “não se esconde que a concessão da cidadania honorária tem criado um forte constrangimento para nós”. Segundo o texto, não é possível ignorar “as muitas vozes de sofrimento que cada vez mais alcançam” a comunidade religiosa.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Sobre a passagem do presidente na região, a nota continua: "A Igreja de Pádua, tornando-se porta-voz de um sentimento generalizado e em virtude do vínculo que une o Brasil com a nossa terra, aproveita a oportunidade da possível passagem do presidente Bolsonaro por Anguillara Veneta para pedir-lhe sinceramente que seja um promotor de políticas respeitosas da Justiça, da saúde e do meio ambiente, especialmente para apoiar os pobres", diz o texto.

A Igreja de Pádua também cita os padres Ezechiele Ramin e Ruggero Ruvoletto, assassinados por pistoleiros no Brasil. No documento, a instituição religiosa reforça que os bispos brasileiros "nos últimos meses estão denunciando fortemente a violência, o abuso, a exploração da religião, a devastação ambiental e 'o agravamento de uma grave crise de saúde, econômica, ética, social e política, intensificada pela pandemia'".

Ainda sobre  situação da pandemia no Brasil, o texto lamenta o alto número de vítimas de Covid-19 no país. "A notícia destes dias volta ainda mais os holofotes para a gestão da emergência da Covid, em um país que já registrou mais de 600 mil mortes na pandemia", diz o documento.

Os coletivos religiosos italianos "Padres na Caminhada" e "Padres contra o Fascismo" também se manifestaram, pedindo a igreja de Pádua que se distancie da homenagem a Jair Bolsonaro.

O presidente, que já está na Itália para participar do encontro do G20, deverá visitar a província de Pádua, para receber a honraria na pequena cidade, que possui em torno de 4 mil habitantes. O evento em homenagem ao mandatário está marcado para a próxima segunda-feira, 1º de novembro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags