Participamos do

Ministério Público pede condenação de prefeito de Cariré por furar fila da vacinação

Antônio Rufino Martins, de 59 anos, é acusado de ter tomado a vacina de imunização contra a Covid-19 quando a prioridade era para idosos acima de 60 anos
06:31 | Out. 15, 2021
Autor Rose Serafim
Foto do autor
Rose Serafim Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) pediu a condenação de Antônio Rufino Martins, prefeito de Cariré por desrespeitar e furar a fila da vacinação contra a Covid-19. O gestor do município localizado na região da Ibiapaba é acusado de ter tomado o imunizante durante um mutirão realizado no dia 20 de abril deste ano.

Segundo o MPCE, na ocasião, o público-alvo era de pessoas na faixa dos 60 a 63 anos. Martins, que tem 59 anos de idade, segundo o documento de identidade dele, recebeu uma dose e registrou o momento que foi divulgado em perfis das redes sociais.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A Ação Civil Pública foi ingressada pelo órgão por meio da Promotoria de Justiça Cariré e pede que o gestor seja condenado por improbidade administrativa. O MPCE pede decretação de indisponibilidade de bens do prefeito, para pagamento de multa de R$ 180 mil.

A Promotoria alega que, ao receber o imunizante estando fora da faixa de prioridade, o prefeito utilizou o cargo público para obter vantagem indevida. A atitude é uma afronta a “impessoalidade e à moralidade” e configura improbidade administrativa, alega a Justiça.

Tenha acesso a todos os colunistas. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags