PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Luiz Pontes defende candidatura de Tasso para 2022 : "É o que tem de melhor no PSDB"

Presidente estadual do partido elogiou gesto do dirigente nacional, Bruno Araújo, em sinalizar o senador tucano como possível pré-candidato para disputar o Palácio do Planalto em 2022

Filipe Pereira
18:23 | 23/04/2021
Luiz Pontes, presidente estadual tucano. (Foto: ALEX GOMES)
Luiz Pontes, presidente estadual tucano. (Foto: ALEX GOMES)

O presidente do PSDB no Ceará, Luiz Pontes, defendeu, nesta sexta-feira, 23, o nome do senador Tasso Jereissati para disputar internamente a posição de presidenciável pelo partido em 2022. Na ocasião, o dirigente elogiou a postura do presidente nacional do partido, Bruno Araújo, que, nesta terça-feira, 20, defendeu uma eventual candidatura do parlamentar cearense ao Planalto.

"Eu acho que o presidente [Bruno], ao lançar o nome do Tasso, colocou o que tem de melhor que tem no PSDB. O País vai precisar, nos próximos anos, de um presidente equilibrado, com experiência e maturidade. O Tasso foi três vezes governador, 16 anos senador, então ele transformou um estado em destaque”, avaliou Pontes. Segundo ele, o senador é o que "mais pode aglutinar lideranças" por ter "um respeito da esquerda e da direita dentro o do Congresso Nacional". 

O presidente do partido, contudo, afirmou "não desmerecer ninguém" e aproveitou para falar de outros nomes tucanos mais cotados nos bastidores, como a do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. "É um jovem talento, mas não está preparado para exercer a Presidência nessa situação que se encontra o País, nessa briga de direita e esquerda", disse. Nesta quinta-feira, 22, Leite afirmou ser bem-vinda uma prévia eleitoral com o nome de Tasso, porém, não descartou disputar a posição internamente. 

Sobre uma possível candidatura do governador de São Paulo João Dória, Pontes afirmou que também respeita a possível escolha, porém, considerou que o gestor "quer porque quer ser presidente". Diante do crescimento do nome de Tasso, o governador paulista vem reagindo às resistências dentro do PSDB, chegando a intensificar as conversas com líderes do partido nos Estados e a montar um núcleo de trabalho voltado para articular a disputa de 2022. 

O presidente estadual da legenda também avaliou como "grande diferencial" a atuação de Tasso na CPI da Covid, que deve iniciar os trabalhos na próxima sexta-feira, 27, no Senado Federal. Ele destacou que a comissão também será usada como uma "Broadway" e "palanque político" para diversos parlamentares, aproveitando para fazer crítica direta ao senador Eduardo Girão (Podemos).

"O Girão quer aparecer, porque eu não concordo com as posições dele. O Tasso vai ser o diferencial nessa CPI. O que tem gente fazendo palanque político, e isso o Tasso não vai deixar. Ele vai ser muito importante para que a gente possa deixar de ser chacota no mundo lá fora, pois os países vão nos isolar", disse o dirigente.